Henrique: também me senti campeão

O meio-de-rede Henrique recebeu com bastante emoção a homenagem prestada a ele pelos jogadores da Seleção Brasileira de vôlei após a conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas. "Apesar de não estar com a medalha no peito, me senti um pouco campeão também", comentou hoje Henrique, que foi cortado do grupo brasileiro às vésperas do embarque para a Grécia. Ele admitiu que não conteve as lágrimas ao ver pela TV a camisa número 5 autografada pelos ex-companheiros, que fizeram questão de levá-la ao pódio. "Fiquei muito feliz com aquela homenagem. É prova que o grupo considerava que eu estava presente e sinto ter participado dessa conquista", observou. "Quando eu vi a camisa no pódio, me emocionei muito, chorei bastante". Henrique ainda pensa o que vai fazer com o presente dos companheiros, que vai receber o mesmo cuidado que teria uma medalha olímpica. "Com certeza vai ter um lugar muito especial para ela". O meio-de-rede disse que não conseguiu assistir ao jogo. Quando ligou a televisão, o time italiano havia vencido o segundo set, empatando a partida. Nervoso, Henrique resolveu passear com a esposa, Ursula Domingues, e o cachorro. Só retornou no final do quarto set, quando a equipe brasileira estava a poucos pontos da vitória. Após o jogo, ele conversou por telefone com André Nascimento, ex-companheiro de quarto na seleção, e com quem atuou desde as categorias de base do Minas Tênis Clube. "Foi uma conversa emocionada.Eu agradeci o carinho e ele me disse que essa conquista era minha também". Aos 26 anos, Henrique dará início hoje (29) numa nova fase em sua carreira. O jogador embarca para a Itália, onde irá se apresentar a seu novo clube, o Latina. Por enquanto, afirma que prefere pensar apenas no desafio de atuar no voleibol europeu e não quer criar expectativas futuras em relação à seleção. "O que eu espero é continuar no meu objetivo, que é dar o máximo do meu potencial. Quanto à seleção, tem uma temporada inteira ainda pela frente e não dá para criar expectativas sobre isso agora". Desde que foi informado de que não fazia mais parte do grupo brasileiro, o meio-de-rede garante que, apesar da tristeza, não ficou com nenhuma mágoa do episódio. Embora alimentasse a esperança de permanecer na delegação, Henrique isentou o técnico Bernardinho de qualquer critica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.