Hernanes começa a se reencontrar

Na meia, como queria Muricy, Hernanes não vinha agradando. Havia ficado até no banco de reservas. Ontem, Ricardo Gomes o escalou como volante e ainda deu a braçadeira de capitão e a incumbência ao jogador de ser o homem da bola parada. Deu certo. Ela ainda não foi o mesmo que se destacou como melhor do Brasileiro do ano passado, mas marcou um gol e deu a assistência para o outro. Um avanço. "Há tempo para tudo e eu estou de volta", comemorou o volante. "As coisas às vezes apertam, ficam difíceis, mas a gente é firme e tudo volta a ocorrer como antes de novo."Hernanes diz que confiança é algo que vem de dentro, mas é inegável que o novo treinador aposta todas as suas fichas na sua recuperação para o São Paulo também crescer. "Quando ele (Ricardo Gomes) chegou tinha me falado que confiava no meu trabalho. Acho que joguei bem", disse o jogador. "Tem situações que a bola queima no pé, não quer entrar. Hoje tivemos paciência e conseguimos o resultado", avaliou.Outro que terá mais chances com o novo treinador é o garoto Oscar. Ontem, entrou na vaga de Washington para dar mais mobilidade à equipe. "Ele ainda não está pronto", explicou Ricardo Gomes. "Mas tem grande potencial. Precisa ganhar ainda melhor condição física." O São Paulo joga contra o Coritiba, no domingo. E deverá ter a volta dos zagueiros André Dias e Miranda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.