Divulgação|CBFS
Divulgação|CBFS

Herói de título mundial em 2012, fixo Neto tem tumor no cérebro

Tendência é que jogador seja operado nesta sexta-feira, em São Paulo

Estadao Conteudo

02 Fevereiro 2017 | 17h06

Um dos melhores jogadores de futsal dos últimos tempos, o fixo Neto foi diagnosticado com um tumor no cérebro. Sem dar maiores detalhes sobre o assunto, a confederação brasileira da modalidade, a CBFS, confirmou na tarde desta quinta-feira o grave problema de saúde do atleta de 35 anos.

A CBFS apenas confirmou a informação, sem maiores explicações, e o próprio jogador pediu, através de sua assessoria, privacidade neste momento. Não está certo quando o problema foi diagnosticado, mas a tendência é que ele seja operado já nesta sexta-feira em São Paulo.

Inicialmente, a CBFS relatou o problema de Neto como uma "lesão", que o tirou de amistosos contra a seleção da Catalunha no mês passado. A própria entidade, nesta quinta-feira, garantiu que não sabia da extensão do problema do fixo ao anunciar o corte.

"A Confederação Brasileira de Futsal deseja força ao atleta e sua família e uma ótima recuperação. Aproveitando a oportunidade esclarecemos a notícia do corte do atleta por lesão vinculada em nosso site. Quanto à convocação, o jogador entrou em contato com a comissão técnica, nas pessoas do PC de Oliveira, treinador da seleção brasileira de futsal, e do Marcos Aurélio, supervisor da seleção adulta, informando que havia sentindo um mal estar durante os treinos em seu clube e gostaria de ser poupado do início dos trabalhos em Barcelona. Motivo esse que levou a ser divulgado o corte por lesão", explicou em nota.

Neto foi o grande herói do título mundial da seleção brasileira em 2012, quando marcou o gol que deu a vitória por 3 a 2 na decisão contra a Espanha, na prorrogação. Naquele ano, também foi eleito o melhor jogador do mundo.

Veterano, o jogador foi revelado pelo Atlético-MG ainda nos anos 90 e passou por clubes como Ulbra, Santos, Joinville e Corinthians, seu último time no Brasil. Atualmente, veste as cores do Kairat Almaty, do Cazaquistão.

Mais conteúdo sobre:
futsal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.