Herói paralímpico, Daniel Dias ganha mais um prêmio

Nadador brasileiro já havia vencido em 2009. Na categoria revelação, Neymar perdeu para Andy Murray

LEONARDO MAIA , TIAGO ROGERO / RIO, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2013 | 02h05

O nadador paralímpico Daniel Dias conquistou ontem seu segundo prêmio Laureus, considerado o Oscar do esporte. Maior medalhista brasileiro na história da Paralimpíada, já havia sido eleito o Paratleta do Ano em 2009, logo após conquistar nove medalhas nos Jogos de Pequim, em 2008. O ano passado, em Londres, Dias - também o brasileiro com o maior número de indicações ao Laureus, cinco - conquistou seis medalhas de ouro, nas seis competições que disputou.

Dias bateu o também brasileiro Alan Fonteles, que concorria a Paratleta do Ano. O atacante santista Neymar, que compareceu à cerimônia, no Theatro Municipal do Rio, viu o prêmio de Revelação do Ano ir para as mãos do tenista britânico Andy Murray, que em 2012 conquistou seu primeiro torneio de Grand Slam, o US Open, e também as medalhas de ouro (simples) e prata (duplas simples), nos Jogos de Londres.

O jamaicano Usain Bolt foi o grande destaque da premiação, apresentada pelo ator norte-americano Morgan Freeman, após conquistar pela terceira vez o prêmio Laureus de Atleta Masculino do Ano. Em Londres, repetindo o resultado de Pequim, o corredor ganhou medalhas de ouro em todas as provas que disputou: 100m, 200m e o revezamento 4 x 100m. O jamaicano, que não veio ao Rio para a entrega do prêmio, concorria com nomes como o alemão Sebastian Vettel, da Fórmula 1, e o meia argentino Lionel Messi.

Michael Phelps, maior medalhista da história dos Jogos Olímpicos, também concorria a Atleta do Ano. Para o agora aposentado nadador, foi criado o prêmio de Conquista Excepcional. Assim, duas lendas dos Jogos, Bolt e Phelps, puderam ser homenageadas na mesma premiação (embora somente o norte-americano tenha comparecido).

A britânica Jessica Ennis venceu o prêmio de Atleta Feminina. Em Londres, ganhou o ouro no heptatlo. O paraquedista australiano Felix Baumgartner foi escolhido o Atleta de Esportes Radicais. Em 2012, se tornou o primeiro homem a quebrar a barreira do som ao fazer um salto em queda livre de 39 km nos EUA. Felix Sanchez, da República Dominicana, ganhou como Retorno do Ano depois de ganhar o ouro nos 400m com barreiras oito anos depois de seu primeiro ouro, em Atenas (2004).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.