Hipismo: aftosa ameaça Copa do Mundo

O mundo hípico está apreensivo com o fechamento das fronteiras da Grã-Bretanha, França e Bélgica, por causa da febre aftosa, e teme pelo cancelamento da Copa do Mundo de Saltos, em que Rodrigo Pessoa buscaria o tetracampeonato, de 11 a 14 de abril, em Gotemburgo, na Suécia. Nesta sexta-feira, o cavaleiro Nelson Pessoa, conhecido como Neco, disse que a situação "é gravíssima". Neco, que está em um concurso em Jerez de la Fronteira, Espanha, com dez cavalos, não poderá levar os animais de volta à Bruxelas. Com as fronteiras fechadas, os cavalos permanecerão em Jerez por mais 15 dias.A realização da Copa do Mundo depende dos ministros da Agricultura de vários dos países envolvidos chegarem a um acordo sobre abrir as fronteiras. Seriam liberados os cavalos que podem ser portadores mas não desenvolvem a doença, permanecendo a restrição para gado e porcos. A decisão deverá sair na próxima semana."As autoridades sanitárias temem que o movimento de cavalos espalhe a doença. Até as pessoas estão bloqueadas na Inglaterra", revelou Neco. Os principais animais de Rodrigo Pessoa, Baloubet du Rouet, o cavalo de US$ 5 milhões, e Lianos, estão no Haras de Ligny. "Por precaução e porque os concursos estão sendo cancelados."Se os proprietários dos haras na Europa não enfrentam a queima dos animais, como os fazendeiros donos dos rebanhos de gado e carneiro, não afastam os prejuízos. "A temporada está parada e todo o hipismo, um esporte forte na Europa, tem prejuízos.", afirmou Neco. Segundo ele, como todos os 40 cavaleiros classificados para a Copa do Mundo, Rodrigo está muito "apreensivo". "As fronteiras da Suécia não estão fechadas, mas os cavalos precisam chegar lá."Manoelzinho - O cavaleiro Manoel Poladian Filho é outro que acompanha os fatos da Europa. Manoelzinho prepara-se para disputar a sua primeira Copa do Mundo. O ginete adiou o embarque da égua Pia do Anjo, programado para terça-feira, para o dia 1º de abril. Mas vem treinando seis horas, diariamente, desde dezembro - só folgou no dia do Natal e no dia do Ano-Novo nesse período - e consideraria uma "enorme frustração" não poder competir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.