Hipismo: Bernardo vibra com resultado

Se o Brasil não conseguiu uma vaga entre as seis equipes que foram à decisão da Copa das Nações, pelo menos um cavaleiro brasileiro, Bernardo Rezende Alves, deixou a pista feliz com o resultado. Aos 26 anos, ele comemorou o desempenho individual do seu conjunto. Com Oberon, um cavalo "voluntarioso" cujo controle exige "mão forte", há pouco mais de um mês, Bernardo foi o único do País a concluir o percurso sem faltas (85s48). Rodrigo Pessoa e Lianos fizeram uma falta (84s88) e Álvaro Afonso de Miranda Neto, o Doda, e Aspen, cometeram duas faltas (84s61)."Foi fantástico", definiu Bernardo. Ele destacou a regularidade do conjunto e o resultado em um percurso de até 1m60 de altura, no concurso mais difícil do mundo. "Nada é mais que isso. Hoje foi o meu maior teste e posso dizer que estou pronto para qualquer tipo de prova", afirmou.Apesar da saudade da namorada, a mineira Carolina Greco, Bernardo permanecerá na Europa até agosto. O empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que apoiou a vinda do cavaleiro à Europa, viu a prova da tribuna vip do Estádio Hípico, que recebeu 38 mil pessoas nesta sexta-feira. Gerdau afirmou que sempre "esteve convicto" sobre o sucesso de Bernardo. O cavalo Oberon é de propriedade dos brasileiros Marco e Pascoal Ianoni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.