Hipismo: irlandês desiste do recurso

O cavaleiro irlandês Cian O?Connor confirmou nesta quinta-feira que não irá apresentar recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS) contra a decisão do Tribunal da Federação Eqüestre Internacional (FEI), que lhe condenou pelo doping do cavalo Waterford Crystal na Olimpíada de Atenas/2004. Com isso, o brasileiro Rodrigo Pessoa depende apenas da oficialização do Comitê Olímpico Internacional (COI) para herdar a medalha de ouro.Em agosto de 2004, Cian O?Connor ganhou a medalha de ouro da prova de saltos dos Jogos de Atenas, deixando o brasileiro Rodrigo Pessoa com a prata. Mas seu cavalo foi flagrado no exame antidoping e, depois de uma conturbada investigação, o irlandês acabou condenado no dia 27 de março pela FEI, que desqualificou seus resultados na Olimpíada.Apesar disso, Cian O?Connor tinha direito de, em 30 dias, recorrer da decisão no CAS, a instância suprema do esporte mundial. Mas ele abriu mão da apelação e acatou a punição. ?Para o melhor interesse do esporte e para evitar mais controvérsias, decidi aceitar a decisão da FEI?, revelou o irlandês em comunicado oficial divulgado nesta quinta-feira.?Perder a medalha de ouro é um grande desapontamento para mim e para o povo da Irlanda?, reconheceu Cian O?Connor, que já ficou satisfeito por ter visto seu nome sair limpo após toda essa história - a FEI considerou que ele não agiu de má-fé.Com a confirmação da nova medalha de Rodrigo Pessoa, o Brasil passa a ter 5 de ouro, 2 de prata e 3 de bronze nos Jogos de Atenas. E também sobe na classificação geral da Olimpíada: sai do 18º para o 16º lugar.

Agencia Estado,

07 de abril de 2005 | 17h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.