Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Hipismo: irlandês já teve caso de doping

O doping em cavalos ganha um novo episódio. Nesta segunda-feira, segundo a imprensa irlandesa, um segundo animal do irlandês Cian O?Connor, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas, foi flagrado no exame antidoping. O cavalo ABC Landliebe apresentou irregularidades durante o exame antidoping efetuado, em maio, durante um torneio hípico em Roma. Na semana passada, Waterford Crystal, com o qual Cian O?Connor conquistou a medalha olímpica, foi acusado de usar um calmante proibido. Se a contra-prova for positiva, o ouro vai passar para o brasileiro Rodrigo Pessoa, prata nos Jogos de Atenas.A Federação Eqüestre Internacional (FEI) comunicou que quatro cavalos haviam sido flagrados durante a Olimpíada. Além de Waterford Crystal, estão envolvidos Goldfever, do alemão Ludger Beerbaum (membro da equipe que ganhou o ouro nos saltos), Ringwood Cockatoo, da alemã Bettina Hoy, e Foxy, do austríaco Harald Riedl.Cian O?Connor segue afirmando ser inocente e diz que o resultado de doping obtido por ABC Landliebe ocorreu por causa de uma medicação para combater uma cólica. A FEI retirou o cavalo do torneio de Roma, mas aceitou as explicações do cavaleiro irlandês e não aplicou punições. No caso de Goldfever, Ludger Beerbaum disse que o cavalo foi tratado pelo veterinário da equipe olímpica, que teria usado uma pomada em uma contusão na pata. "Sigo com esperanças de manter a medalha de ouro. Podemos ter cometido erros, mas doping, jamais", afirmou o cavaleiro alemão. "O cavalo tem um tratador e foi cuidado por um veterinário, mas a responsabilidade é minha."

Agencia Estado,

11 de outubro de 2004 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.