Hipismo: Nélson Pessoa confia na Copa

O cavaleiro Nélson Pessoa, o Neco, confia que seu filho Rodrigo Pessoa poderá tentar o tetracampeonato da Copa do Mundo de Gotemburgo, na Suécia, entre 11 e 14 de abril. A realização do torneio vem sendo ameaçada pela febre aftosa, doença que causou o cancelamento de várias competições eqüestres na Europa. Neco estava otimista, nesta segunda-feira, com a decisão tomada pelos ministros da Agricultura europeus de manter abertas a maioria das fronteiras do continente, com exceção da Inglaterra e da França. "Acredito que a Copa do Mundo será realizada, a não ser que aconteça algum novo caso de febre aftosa em outros países."Já Rodrigo pessoa não vê o caso com o mesmo otimismo do pai. Para o cavaleiro, a abertura das fronteiras não assegura a realização da competição, porque é uma decisão que não depende apenas das autoridades sanitárias. Ele afirmou que ainda será preciso esperar por uma decisão dos organizadores - não sabe quando -, uma vez que, provavelmente, nem todos os cavaleiros teriam condições de competir.Os franceses vão autorizar, segundo Neco, o trânsito dos animais pelo país, embora tenham cancelado a realização de todos os concursos de salto. "Os caminhões carregando os cavalos podem transitar pela França, mas não podem parar ou desembarcar os animais", observou o cavaleiro, contente com a abertura das fronteiras da Bélgica - seu haras fica localizado em Ligny, perto de Bruxelas.Neco disse que além da belga, todas as fronteiras da maioria dos países da Europa que terá cavaleiros na Copa do Mundo - Holanda, Alemanha e Suécia, além dos norte-americanos e canadenses - estão abertas. Ele comentou ainda que o torneio de S?Hertogenbosh, na Holanda, no fim de semana, está confirmado e que Rodrigo poderá saltar com Baloubet du Rouet, o cavalo de US$ 5 milhões, o mesmo que pretende levar para a Copa do Mundo se o evento for confirmado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.