Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Hipismo: Poladian na Copa do Mundo

Depois de muitos nomes cogitados, a Federação Eqüestre Internacional (FEI) divulgou o segundo brasileiro que disputará a Copa do Mundo de Hipismo, em abril, em Gotemburgo, na Suécia. Ao lado de Rodrigo Pessoa, o segundo no ranking mundial, o cavaleiro Manoel Poladian Filho enfrentará os melhores ginetes do mundo - aos 21 anos, será o mais jovem nas pistas. E confessa: "Ainda não ?caiu a ficha?. Só sei que será muito difícil para mim."O jovem ginete chegou a pensar que não conseguiria participar da prova mais importante do ano na modalidade, já que das oito seletivas competiu apenas em quatro. "A minha égua, a Pia Doanjo, teve um acidente no começo do ano e se recuperou apenas em agosto, quando voltei a competir. Na pontuação das últimas quatro seletivas - em São Paulo, Buenos Aires, Rio de Janeiro e Belo Horizonte -, fiquei em quinto lugar e só fui chamado pela FEI ontem (quinta-feira). Foi uma festa, mas não uma surpresa, porque continuei sempre treinando forte e com esperança de conseguir isso."Com 21 anos, ele saltará a Copa do Mundo com a mesma idade que tinha Rodrigo Pessoa quando participou pela primeira vez, há seis anos. "É até engraçado. Não havia parado para pensar. Mas com 21 anos o Rodrigo competia lá fora, tinha mais bagagem e disputava com o melhores cavaleiros do mundo. Além disso, teve o apoio do pai dele, que até então era o maior nome do hipismo brasileiro. Para mim será mais complicado", diz Poladian.Para março, Poladian já tem programada uma viagem para a Bélgica, quando pretende treinar com Rodrigo Pessoa. "Ele tem a melhor estrutura do mundo, com uma ótima pista e um bom picadeiro - é uma pista coberta, o mesmo tipo da Copa do Mundo. Além disso, precisarei me acostumar à temperatura. Sair do nosso verão para um inverno com temperatura abaixo de zero é mais um problema."A participação do torneio na Suécia pode definir muita coisa na vida do cavaleiro, que sonha integrar a equipe brasileira em uma Olimpíada. "Não sei se será a próxima (Atenas/2004). Ainda tem muito tempo. O que importa é conseguir ter uma boa participação agora", assinala o atleta, que treina das 8h30 às 16h30 todos os dias, "até sábados e domingos". Poladian não vai parar nem no carnaval. "A ?Pia? está em forma, sem nenhum problema de contusão, o que é excelente."O que terá de melhorar até abril? Poladian ainda se atrapalha na hora de dizer, mas segue sua filosofia: "Fazer o percurso de uma pista fechada sem estar nervoso já é difícil. Se estiver nervoso é pior ainda. Além da parte física, que é a mais fácil, preciso aprender a me manter calmo e controlado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.