Holyfield decepciona e luta termina sem resultado

Ex-campeão mundial sofre cabeçada na pálpebra no segundo round e combate acaba interrompido

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2011 | 00h00

Terminou de forma melancólica mais uma tentativa de Evander Holyfield resgatar seu prestígio nos pesos pesados. Aos 48 anos, o ex-campeão mundial lutou na madrugada de ontem em White Sulphur Springs, West Virginia (EUA), e viu a luta com Sherman Williams terminar no terceiro assalto, sem decisão, após sofrer uma cabeçada na pálpebra esquerda no segundo round.

Além de frustrar a si mesmo, o público e a imprensa, Holyfield perdeu a oportunidade de tentar desafiar os atuais donos dos principais cinturões mundiais, os irmãos ucranianos Wladimir e Vitaly Klitschko e o britânico David Haye. "Não sei se poderei lutar dia 5 de março", disse "The Real Deal" sobre seu combate na Dinamarca, diante de Brian Nielsen.

Com 101 quilos, maior peso de seus 26 anos de carreira, Holyfield já não tem mais as mesmas velocidade e sequência de golpes de 15 anos atrás, o que o tornou um lutador comum a ponto de ser dominado por Williams, de 38 anos, adversário sem gabarito para encarar um dos maiores nomes da história do boxe.

No primeiro assalto, Williams acertou forte direita na cabeça de Holyfield, que sofreu um corte abaixo do supercílio esquerdo no segundo round. No terceiro, o ex-campeão, apesar da iniciativa, não "achava" o rival. No intervalo para o quarto round, Holyfield reclamou que não conseguia enxergar. Seu técnico, Tommy Brooks, pediu para parar a luta. Williams chegou a festejar a vitória, mas o duelo ficou sem decisão, pois a cabeçada, ocorrida antes do quarto round, foi considerada ocasional e a análise dos três jurados desconsiderada.

"Achei que era uma bênção ter a chance de enfrentar alguém tão importante. Mas vejo tudo que virou um circo", disse Williams, 34 vitórias, 11 derrotas e dois empates. Holyfield, 43 vitórias, dez derrotas e dois empates, afirma querer nova lua com Williams. Resta saber quem vai pagar para ver.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.