Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Homenageado, capitão exige vitória em casa

Rogério Ceni, mais uma vez, chama a atenção do elenco e cobra vontade para retribuir o apoio da torcida, hoje, no Morumbi

Moreno Bastos, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2011 | 00h00

Rogério Ceni não para de agradecer aos torcedores por terem comprado todos os ingressos para a partida contra o Atlético-MG, hoje, no seu jogo de número 1000 com a camisa do São Paulo.

Mas, para o goleiro, a única forma real de honrar a presença dos são-paulinos que vão encher o Morumbi é com uma vitória sobre o clube mineiro.

Por isso, desde a partida contra o Figueirense, o capitão vem mandando recados a alguns jogadores do elenco, que, segundo ele, não têm tido tanta vontade, principalmente nas partidas dentro de casa.

Às vésperas do confronto que pode devolver a liderança do Campeonato Brasileiro ao São Paulo, o goleiro voltou a cutucar os "desmotivados". Fez isso novamente, porém, sem citar nomes, já que se esforça para manter o equilíbrio dentro do elenco até o final do Brasileiro.

"Nos últimos jogos em casa não conseguimos resultados que costumamos ter no Morumbi. Eu acho que está tudo dentro do desejo de vencer", disparou o goleiro, que emendou." A atitude contra o Figueirense (no último sábado) foi bacana. Quem entrou, se sacrificou. Isso que tem de ocorrer. Ninguém garante vitória sempre, mas tem de ter desejo de vencer. Em um jogo como este, com 60 mil vozes, você pode tomar frango, perder um gol feito, mas, se não correr, fica difícil", afirmou o ídolo. "Nossa retribuição tem que ser com a vitória e a liderança."

Convocados.[ ] No último treino antes do jogo com o Atlético-MG, três jogadores tinham motivos a mais para comemorar.

Convocados para a seleção brasileira, que vai enfrentar a Argentina em dois amistosos, o meia Cícero, o volante Casemiro e o zagueiro Rhodolfo tiveram discurso parecido para comentar a estreia no grupo de Mano Menezes.

"Acho que essa convocação é resultado de um trabalho que fiz em toda a carreira e, é claro, que minhas atuações no São Paulo foram fundamentais para ser chamado pelo Mamo Menezes. Mas não quero ter apenas uma passagem por lá, quero ser chamado em outras oportunidades", afirmou Cícero. "Antes, porém, precisamos pensar no jogo com o Atlético-MG."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.