Hora de Neymar brilhar na Europa

Em seu primeiro grande teste no continente, craque santista tem a missão de liderar o País na busca pelo ouro inédito

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2012 | 03h10

Depois de encerrar o jejum de quase 50 anos do Santos na Libertadores, chegou a hora de Neymar fazer história com a camisa da seleção. O principal astro do Brasil fez uma temporada quase perfeita em 2011 e jogará seu primeiro grande torneio em território europeu - embora os clubes de lá, há um bom tempo, venham tentando antecipar este teste.

Aos 20 anos, completados no início de fevereiro, Neymar sedimentou no ano passado o caminho para se tornar um ídolo mundial sem sair do País. O jovem santista foi o único da última lista dos 23 melhores jogadores da Fifa que não pertencia a clubes da Europa. Ficou fora da disputa final, mas acabou agraciado com o Prêmio Puskas, por conta do gol de placa sobre o Flamengo, na Vila Belmiro.

Em Londres, espera-se um protagonismo semelhante ao que o atacante teve na última Libertadores. No time santista, não fugiu da responsabilidade e amadureceu durante a competição. Foi expulso de maneira infantil na 1.ª fase, ao vestir uma máscara na comemoração de um gol, mas se redimiu nas etapas decisivas, com passes e gols salvadores. De forma inquestionável, foi eleito o melhor jogador da competição.

No Mundial de Clubes, em dezembro, abriu caminho para a vitória na semifinal contra o Kashiwa Reysol, do Japão, marcando um golaço. Na decisão, porém, afundou com a fragilidade do time santista diante de um aparentemente imbatível Barcelona - e o esperado confronto com Messi foi um duelo desigual.

Pela seleção, foi bem em alguns amistosos, mas decepcionou na última Copa América. Com dois gols em quatro jogos, pouco conseguiu fazer para dar brilho às atuações medíocres do time de Mano Menezes no torneio sul-americano.

Nos Jogos de Londres, porém, os olhos do mundo estarão sobre o garoto, que carrega as esperanças do País na busca pelo ouro inédito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.