Hortência quer ajudar o clube. Com idéias

Nos mais de 20 anos de carreira, a melhor jogadora de basquete da história do Brasil nunca vestiu a camisa de um clube grande de futebol. E ela sempre entendeu que, como na Europa, os esportes amadores no País ganhariam popularidade e evoluiriam se defendessem as cores de equipes grandes de futebol.Pensando nisso, Hortência se envolveu na eleição do seu time do coração, o Corinthians. ''''Eu sou amiga do Andres Sanchez, falei para ele sobre as minhas idéias para as categorias amadoras. Mas não faço parte da chapa dele, não quero cargo no clube e também não quero a minha imagem usada por nenhuma candidatura. Mas acredito nas minhas idéias para o esporte amador corintiano'''', diz a eterna Rainha do basquete.A ex-atleta propõe que o clube administre o Departamento de Futebol totalmente desvinculado dos demais esportes. ''''Teríamos profissionais buscando recursos que, como manda a lei, viriam diretamente para o esporte determinado. O clube estaria proibido de mexer nesse dinheiro e aplicá-lo em outra modalidade. Se for para o basquete é basquete. E acabou. Dá para fazer isso.''''Hortência acredita que está na hora de os clubes grande investirem em outros esportes. ''''O potencial é fantástico. Acredito que chegou a hora de uma equipe grande tradicional de futebol explorar o seu potencial de popularidade para o basquete, vôlei, boxe, natação. O que for.''''

Cosme Rímoli, O Estadao de S.Paulo

04 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.