Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Hulk acredita que está conquistando a torcida brasileira

Vaiado em amistosos, jogador saiu de campo aplaudido na estreia contra o Japão

Robson Morelli - Enviado Especial, Agência Estado

18 de junho de 2013 | 14h04

FORTALEZA - A torcida brasileira não esconde a preferência por Lucas no lugar de Hulk na seleção, e chegou a vaiar o atacante do Zenit nos amistosos contra Inglaterra e França. Aos poucos, no entanto, ele parece conquistar a confiança dos torcedores e na vitória por 3 a 0 sobre o Japão, em Brasília, pela estreia da Copa das Confederações, chegou a ser aplaudido quando deixou o campo no segundo tempo.

Para o jogador, as críticas aconteceram pelo desconhecimento da torcida em relação ao seu futebol, já que ele foi muito cedo para a Europa e pouco atuou como profissional no Brasil. "Preciso fazer meu trabalho em campo e assim ganho meu espaço. É normal o torcedor, quando não conhece a qualidade do jogador, criticar ou vaiar. Mas tenho certeza que agora eles estão me conhecendo através dos jogos, e minha imagem no fim da Copa das Confederações será diferente", declarou.

Hulk admitiu o desejo de ser "reconhecido", mas descartou mudar seu estilo para agradar a torcida. "Sempre quis ser reconhecido pelo meu futebol, mas se pensar em agradar a torcida isso vai me prejudicar. Quero fazer meu trabalho, com certeza está sendo muito importante para o grupo e quero continuar assim."

Nem mesmo os constantes pedidos pela entrada de Lucas no time titular parecem incomodar o atacante. "Estou realizando o sonho de todo mundo só de vestir a camisa da seleção, então, quando escuto o nome de qualquer um que seja para me substituir, fico tranquilo. Tenho a confiança de todos meus companheiros, do Felipão, e graças a Deus venho ajudando a seleção", comentou.

Hulk ganhou espaço na seleção ainda na era Mano Menezes e continuou recebendo oportunidades com Luiz Felipe Scolari. O jogador inclusive exaltou Felipão e apontou a importância do treinador para que ele não perdesse confiança com as críticas. "O Felipão vem conversando comigo, me dando os parabéns pelos jogos, pelo que venho fazendo, que é o que ele pede", contou.

É com essa confiança que Hulk espera ajudar o Brasil na segunda rodada do Grupo A da Copa das Confederações, contra o México, nesta quarta-feira, em Fortaleza. O atacante não guarda boas lembranças deste adversário, já que esteve em campo na derrota por 2 a 1 na decisão dos Jogos de Londres, no ano passado, que acabou com o sonho do inédito ouro olímpico.

"Tive a felicidade de estar em Londres, enfrentei o México na final. É uma grande equipe, mostrou um grande futebol, infelizmente não conseguimos ganhar. Foi frustrante, queríamos a medalha inédita. Então sabemos da seleção que vamos enfrentar amanhã (quarta) e sabemos que é uma grande equipe", analisou o atacante, vendo semelhanças entre a seleção olímpica mexicana e a que atuará nesta quarta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.