Hypólito fica em 4º lugar no Mundial

A paulista Daniele Hypólito, de 17 anos, conquistou nesta sexta-feira o melhor resultado da história da ginástica brasileira e virou a revelação do Mundial de Ginástica Olímpica, ao chegar à quarta colocação na competição individual geral em Ghent, na Bélgica. Terminou com 36,905 pontos e por apenas 0,044 não ficou com o bronze. A nova campeã mundial é a russa Svetlana Khorkina, com 37,617 pontos, que bateu a sua compatriota Natalia Ziganshiva, prata com 37,305. O bronze ficou para a romena Andrea Raducan, com 36,949, que dividia favoritismo com Khorkina. Raducan já havia comandado sua equipe no quinto ouro mundial, retornando depois da suspensão por doping na Olimpíada de Sydney/2000.Khorkina, de 22 anos, conquistou o título mundial pela segunda vez - havia se decepcionado em Sydney e chorado muito, quando errou o salto sobre o cavalo (que estava fora da altura), deixando o ouro para Raducan, que depois teria seu ouro confiscado.Em Ghent, a final individual geral foi um duelo entre Khorkina e Natalia Ziganshiva, de apenas 15 anos. Raducan perdeu a chance do ouro pelo fraco desempenho nas assimétricas (teve nota 8,862)."Estou realmente feliz por ter conseguido repetir minha conquista individual de Lausanne/97", disse Khorkina. "Cada uma de nossas medalhas tem sua beleza e sua história." Sobre seguir até a Olimpíada de Atenas/2004, ela falou que ainda era muito cedo para comentar alguma coisa. "Adoro a Grécia. E você nem precisa de muita roupa para se sentir feliz lá", brincou a garota, que já posou para a Playboy.Campeã nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg/99, Daniele Hypólito escapou da morte em 1997, em um acidente com o ônibus do Flamengo que ia para o Paraná. Sete pessoas morreram e técnica Georgete Vidor ficou paraplégica.O ucraniano Oleg Ostapenko começou a treinar a equipe brasileira depois da Olimpíada de Sydney/2000 (quando Daniele foi 20ª na geral individual), mas está com dois meses de salários atrasados pela Confederação Brasileira de Ginástica, que não está recebendo verba prometida pelo Comitê Olímpico Brasileiro.Neste Mundial, Daniele teve a melhor nota no solo: 9,562 (9,056 no cavalo, 9.375 na trave e 8,912 nas assimétricas - a diferença que lhe tirou o pódio). E com isso, classificou-se para disputar a final de solo (domingo) - foi melhor que Raducan (9,425) e Khorkina (9,400). A brasileira pratica ginástica olímpica desde os 10 anos de idade, chamada pelo técnico Ricardo Pereira, em 1994. Com 1,36 m, é a menor de suas colegas no Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.