Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Hypolito viaja com um dilema

O ginasta Diego Hypolito embarca hoje para o Japão, onde treinará por duas semanas a fim de se adaptar ao fuso horário, com um dilema: ainda não definiu se disputará na Olimpíada apenas a prova de solo, na qual tem dois títulos mundiais. Ele vai aproveitar o período de aclimatação em Tóquio para decidir se participará também da prova de salto, na qual não é especialista. A dúvida surgiu por causa das dificuldades pelas quais passou na sua fase de preparação para Pequim - contraiu dengue e foi submetido a cirurgia no joelho direito. Junto com a comissão técnica, Diego avaliará se é válido correr riscos no salto, já que pode se machucar numa modalidade em que dificilmente brigará por medalha. A prioridade é o solo. "Posso chegar, no máximo, a uma final no salto. É arriscado e posso me contundir", declarou o ginasta, dando a entender que vai abrir mão dessa disputa. Por causa da dengue e da operação no joelho, Diego enfrentou problemas com o físico, mas voltou ao ideal (67,8kg) e garantiu estar 85% pronto para Pequim. "Minha luta de oito anos vai ser decidida em 1 minuto e 10 segundos", resumiu, referindo-se ao tempo de duração de seu movimento. Para não perder a concentração, o atleta deixou de sair com os amigos e não atende mais o celular. Após os treinos, fica recluso no quarto, só ouvindo música. "Estou vivendo na minha bolha, totalmente isolado do mundo", contou o ginasta, sem querer saber das tentações da Vila Olímpica. Durante a entrevista, desenhou uma medalha em um papel e comentou: "Estou com um pensamento de campeão olímpico."

Bruno Lousada, RIO, O Estadao de S.Paulo

16 de julho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.