Iaaf adota regra para mulheres com hiperandrogenismo

Atletas com níveis excessivos de hormônios masculinos precisarão da aprovação de médico

AE, Agência Estado

12 de abril de 2011 | 09h23

DAEGU, COREIA DO SUL - As atletas com níveis excessivos de hormônios masculinos precisarão da aprovação de um médico para competir em eventos femininos, de acordo com regulamentação aprovada nesta terça-feira pelo órgão regulador do atletismo mundial. As regras adotadas pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) aplicam-se às mulheres com hiperandrogenismo, o excesso de produção de hormônios sexuais masculinos.

O conselho da Iaaf tomou a decisão depois que o Comitê Olímpico Internacional propôs as normas para todas as federações esportivas. A Iaaf, reunida em Daegu, na Coreia do Sul, disse que as regras entram em vigor no dia 1.º de maio. A federação nomeou uma comissão internacional de médicos especialistas para estudar os casos de hiperandrogenismo e fazer recomendações para a Iaaf sobre a aceitabilidade de atletas do sexo feminino.

O objetivo das regras é evitar que se repita polêmicas como a que se envolveu a corredora sul-africana Caster Semenya, que foi submetida a testes de verificação de gênero e ficou afastadas das competições por 11 meses depois de conquistar o título mundial nos 800 metros em 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.