IAAF determina 3 anos para naturalizar

Pelo menos no atletismo, para competir por outro país que não seja de seu nascimento o interessado terá agora de esperar três anos a partir do momento que conseguir sua nacionalidade. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pela IAAF, a Associação Internacional das Federações de Atletismo, depois de intenso debate no congresso pré-Mundial, em Helsinque, na Finlândia. A proposta foi aprovada por 90 votos contra 80 (a Eritréia queria seis anos de "quarentena"). Com a nova regra, a IAAF entra em sintonia com o Comitê Olímpico Internacional.De acordo com a nova regra, os atletas que decidirem troca de nacionalidade terão de ficar fora de competições oficiais por três anos. Mas, se houver acordo entre os países, a "quarentena" poderá ser de apenas um. Até agora, os atletas podiam defender outro país imediatamente após conseguir nova nacionalidade.A medida atinge em cheio os atletas de países africanos, que viram o êxodo de suas estrelas nos últimos anos, rumo ao rico Golfo Pérsico - caso de Catar e Bahrein. Dezenas do Quênia, por exemplo, trocaram de nacionalidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.