Jean-Pierre Amet/Reuters
Jean-Pierre Amet/Reuters

IAAF só decidirá sobre reintegração da Federação Russa em dezembro

Entidade está suspensa desde 2015 por causa da série de casos de doping do país no atletismo

Estadão Conteúdo

20 de setembro de 2018 | 19h26

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) vai decidir apenas em dezembro se reintegra a Federação Russa de Atletismo, suspensa desde 2015 por causa da série de casos de doping do país na modalidade.

A IAAF tem seus próprios critérios, que serão supervisionados pelo Grupo de Trabalho Independente, presidido por Rune Andersen e que incluindo membros do seu conselho. Andersen e seu grupo vão revisar a decisão tomada pela Agência Mundial Antidoping (Wada), que nesta quinta-feira decidiu reintegrar a Agência Antidoping da Rússia (Rusada).

O grupo vai analisar as condições estabelecidas pela Wada nas próximas semanas e verificará o progresso da Federação Russa de Atletismo em outros critérios ainda pendentes. O grupo de trabalho, então, compilará seu relatório com uma recomendação e apresentará isso ao Conselho da IAAF no início de dezembro.

Além disso, o grupo exige que as autoridades russas reconheçam as conclusões das investigações feitas pelo advogado canadense Richard McLaren de que funcionários do Ministério do Esporte foram incluídos no esquema para encobrir o doping de atletas russos como descrito em seus relatórios.

Além disso as autoridades russas deverão dar acesso aos dados dos testes das amostras do laboratório de Moscou de 2011 a 2015, para que a Unidade de Integridade do Atletismo possa determinar se são verdadeiras as suspeitas relatadas nas investigações no banco de dados do laboratório.

"Estas duas pré-condições e quaisquer outras condições pendentes que são necessárias para a reintegração da Federação Russa de Atletismo precisarão ser discutidas pela força-tarefa antes que qualquer recomendação seja feita ao conselho. A definição de nossos próprios critérios e o processo de avaliação do progresso contra esses critérios têm servido bem ao atletismo nos últimos três anos, por isso continuaremos a confiar na força-tarefa e em nosso roteiro para a reintegração da Federação Russa de Atletismo até que as exigências sejam atendidas", disse Sebastian Coe, presidente da IAAF.

INVESTIGAÇÃO 

A Rusada estava suspensa desde novembro de 2015 por conta de uma investigação independentemente da Wada, liderada por McLaren, que revelou doping sistemático e com apoio estatal russo em diferentes modalidades esportivas. O auge das infrações teria acontecido durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014, quando amostras de atletas russos eram trocadas para esconder os resultados positivos.

A IAAF suspendeu a participação de russos na Olimpíada do Rio-2016 e também no Mundial de Londres, no ano passado. Nos dois eventos, russos só puderam competir no atletismo partir de permissão individual, avaliada caso a caso, e sem poder defender as cores da bandeira da Rússia.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.