Ian Thorpe: 'Não acredito que Phelps consiga oito ouros'

Ex-nadador australiano aposta em vitórias do americano, mas não acredita em quebra de recorde de medalhas

EFE

28 de janeiro de 2008 | 09h13

O ex-nadador australiano Ian Thorpe, ganhador de cinco ouros olímpicos e onze títulos mundiais durante sua carreira, disse nesta segunda-feira que não acredita que o americano Michael Phelps conquiste oito medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. "Desejo tudo de melhor a ele, mas não acho que ganhará oito medalhas de ouro. Se o fizer, seria o resultado mais extraordinário já visto", disse Thorpe durante a apresentação da série televisiva "One World, One Dream" ("Um Mundo, Um Sonho") em Pequim."Não tenho nenhuma dúvida sobre sua qualidade, mas são muitas competições, o que representa muita pressão. Em muitas das provas há concorrentes muito difíceis, e ele sabe disso", acrescentou. Thorpe, que além dos ouros conquistados nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000 e Atenas 2004 e dos títulos mundiais bateu treze recordes mundiais individuais e outros cinco em revezamentos, destacou que Phelps "treina muito duro, mas não tem nada de realmente especial". O nadador australiano, que encerrou a carreira em novembro de 2006, com apenas 24 anos, para "experimentar outras coisas" e não se dedicar exclusivamente à natação, confessou que sente saudades de "duas coisas da competição". "Uma é o momento anterior ao início da prova, a caminhada até o local de competição. Também sinto saudades da sensação de se esforçar o máximo até o fim da prova e depois relaxar o corpo. Essas seriam as únicas razões pelas quais voltaria a nadar", afirmou. Thorpe elogiou o chamado "Cubo de Água" - inaugurado nesta segunda-feira - onde serão disputadas as competições de natação, saltos e natação sincronizada, e acredita que em Pequim 2008 as marcas realizadas pelos nadadores "serão mais lentas", porque as provas acontecerão pela manhã. "Todos sabemos que ao acordarmos de manhã não funcionamos tão bem quanto à tarde. Então, os nadadores deverão treinar de manhã e isso é difícil porque representa mudar um hábito", acrescentou. Também observou outra desvantagem na poluição registrada constantemente em Pequim. "É um fator a ser considerado. Obviamente, a natação será disputada em um local coberto, mas pode prejudicar nos espaços externos". O australiano, que confia em uma boa participação de seu país em sua especialidade, embora "não tão bem" quanto em Atenas 2004, afirmou que, após sua aposentadoria, leva "uma vida boa". "Não me importaria em treinar crianças para ensiná-los, mas não me vejo desempenhando esse papel a longo prazo", disse Thorpe, antes de afirmar que estará em Pequim durante os Jogos, entre 8 e 24 de agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
Ian ThorpePequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.