Iatismo aquece economia de Ilhabela

A tradicional Semana de Vela de Ilhabela, que começa neste sábado com a regata Eldorado-Alcatrazes por Boreste, é o principal evento esportivo realizado anualmente na cidade. Em sua 29ª edição, e com a participação de velejadores experientes como Robert Scheidt e Amyr Klink, a expectativa é de que a economia da cidade melhore muito em relação aos outros meses do ano."Temos quase 140 barcos inscritos, os planos são chegar a 150 e bater o recorde. Esse número é muito importante. Na vela de oceano, a média de tripulantes é de seis por barco. Se atingirmos 150 embarcações, digamos que serão 900 pessoas velejando, além de mais de duas mil pessoas circulando no Yatch Club. Esses números ajudam a melhorar a economia de Ilhabela - principalmente na rede hoteleira, comércio e restaurantes da região", explica José Manoel Nolasco, diretor de vela do Yatch Club de Ilhabela.Nolasco ressalta também a importância do evento na difusão da modalidade entre moradores e visitantes que não conhecem o esporte. "Fora Eldorado-Alcatrazes, que é uma regata de longo percurso, todas as regatas são realizadas no canal de São Sebastião, onde o público pode acompanhar - os velejadores passam muito perto do centro da vila. Além disso, aquelas velas coloridas são um espetáculo à parte." Fora da água, também foram programadas atividades. "Paralelamente ao evento, organizamos o Race Village, com apoio da prefeitura. É o segundo ano que programamos atividades como palestras e exposições - por exemplo as fotos da marinha e seu projeto que envolve submarinos - além de recreação infantil e números musicais. O ambiente é alegre e descontraído, por isso que deu certo", conta Nolasco.O diretor do Yatch Club está satisfeito com o resultado obtido nos últimos anos. A preocupação, a partir deste ano, é arrumar espaço para todos os veleiros participantes: "Posso dizer que a Semana de Ilhabela é o maior evento desse tipo na América do Sul. O evento cresceu tanto que precisamos da ajuda de outros clubes da região - 90% das embarcações ficam no Yatch Club. Os outros 10% precisam arrumar espaço em outros clubes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.