Ibirapuera: nova promessa do Estado

O Troféu Brasil de Atletismo ficará mais um ano ? o oitavo consecutivo ? longe de São Paulo. A culpa é das más condições da pista de atletismo do Conjunto Constâncio Vaz Guimarães, o Ibirapuera, completamente esburacada. Não dá mais tempo para fazer a reforma do local ? o Troféu será disputado de 26 a 29 de setembro ?, mas o governo do Estado voltou a prometer uma solução para o problema. Nesta quarta-feira, o secretário-adjunto estadual da Juventude, Esportes e Lazer, Felipe Soutello, disse que uma licitação ?criativa?, para que a pista seja reformada, será publicada no Diário Oficial do Estado nos próximos dez dias. A licitação buscará encontrar empresas interessadas em fazer a reforma da pista e de outros espaços do conjunto de atletismo do Ibirapuera em troca de espaço publicitário e outros benefícios. ?Foi a forma que encontramos para resolver o problema. Poderemos usar o mesmo modelo para reformar outros locais, como o Baby Barione, na Água Branca?, disse Soutello. ?O processo já foi aprovado pela Comissão de Patrimônio Imobiliário e tem parecer favorável da Procuradoria-Geral do Estado.? Reformada há mais de uma década, a pista do Ibirapuera está gasta. Segundo Luís Eduardo Ambrósio, recordista brasileiro juvenil dos 400 metros, existe um ?caminho fundo? nas raias 4 e 5, as mais usadas. ?A linha dos 100 metros também está muito gasta.? ?Na verdade, não há mais pista?, disse o técnico do salto com vara Elson Miranda, que chegou a remendar a área de salto. ?Tinha tapetes de borracha sintética, que o pessoal da Play Piso cortou e colou. Fizemos um remendo para poder realizar os treinos do salto com vara e um circuito dessa prova.? No salto em distância, o problema é a caixa de areia, muito curta, e a própria areia, que os gatos usam como ?banheiro?. O governador Geraldo Alckmin prometeu pessoalmente a reforma da pista aos atletas que disputaram o Mundial Juvenil da Jamaica e foram levados, segunda-feira, ao Palácio dos Bandeirantes por representantes da Federação Paulista de Atletismo (FPA) para uma visita. ?De fato, o governador disse que o problema será resolvido com uma licitação?, afirmou José Antônio Martins Fernandes, presidente da FPA. O problema é o tempo que o governo do Estado demorou para encontrar uma maneira de realizar a reforma, até porque a Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) já havia manifestado, no fim do ano passado, a disposição de reformar a pista a um custo aproximado de R$ 2 milhões. ?A BM&F continua disposta a fazer a reforma e vai participar da licitação?, afirmou Sérgio Coutinho Nogueira, diretor da equipe BM&F Atletismo, a maior do Brasil. Promessas ? A primeira vez que o governo prometeu a reforma da pista do Ibirapuera foi em março de 2001, quando o secretário de Esportes ainda era Marcos Arbaitman, em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes, como o início de uma nova fase para o atletismo paulista. O secretário falou até em trazer de volta para São Paulo o Meeting Internacional, etapa do calendário de Grand Prix da Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf), que foi realizado pela última vez na cidade em 1995. Em janeiro deste ano a BM&F já tinha concluído um projeto para a reforma do local ? a empresa também doou o material sintético para a pista de atletismo da Vila Olímpica, que o governo está construindo às margens da Rodovia Raposo Tavares e receberá o nome do ex-governador Mário Covas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.