Idade não inibe os planos de Scheidt

O iatista Robert Scheidt, pentacampeão mundial na classe Laser, usa o exemplo dos tenistas Andre Agassi (Estados Unidos) e Goran Ivanisevic (Croácia) para comprovar sua tese: tem plenas condições de chegar à Olimpíada de Atenas, na Grécia, em 2004, quando terá 31 anos, com saúde para dar e vender. "O Agassi tem 31 anos e está no auge e o Ivanisevic ganhou Wimblendon aos 30", comparou o atleta brasileiro, que voltou ao Brasil na madrugada deste sábado, após conquistar o quinto título mundial, na Irlanda.Scheidt é o único brasileiro com este currículo em esportes individuais - Pelé também tem cinco títulos (três com a seleção e dois com o Santos).A preocupação de Scheidt não é com a idade e sim, com o preparo físico. Isso porque na sua modalidade, a classe Laser é a que mais exige do velejador: os barcos são iguais para todos os atletas, que competem sozinhos, sem proeiro ou tripulação. Para ele, além de estar em forma, o importante é ter motivação e confiança. "Estou longe da perfeição e tenho muito o que aprender", afirmou o modesto pentacampeão."O físico me ajudou na Irlanda. Foram sete dias sem descanso e algumas vezes, 12 horas na água. Me senti muito bem e posso trabalhar para chegar em Atenas com condições de conquistar minha terceira medalha", avaliou o iatista, ouro em Atlanta/1996 e prata em Sydney/2000. Scheidt lembrou que diferente das outras edições do Mundial, desta vez ele chegou a Irlanda sem títulos expressivos, como os da Semana de Spa e de Kiel. Mas sentiu-se confiante para vencer, o que valorizou ainda mais a conquista do pentacampeonato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.