Ídolo prepara sua fábrica de talentos

Cabanãs constrói na Villa Elisa, a 50 minutos de carro de Assunção, um complexo para [br]garotos entre 6 e 13 anos

, O Estadao de S.Paulo

23 de março de 2010 | 00h00

ASSUNÇÃO

No Brasil, a molecada começa a jogar nos clubes profissionais com 6, 7 anos. No Paraguai é diferente. As categorias de base iniciam apenas com os times sub-14. Ciente de que, com essa idade, dificilmente apareçam novos craques, o atacante Salvador Cabañas resolveu criar uma fábrica de talentos no país. Desde novembro funciona na Villa Elisa, cidade a 50 minutos de carro de Assunção, o Complexo Desportivo SC10, para 200 crianças entre 6 e 13 anos.

"Todas as crianças no Paraguai querem ser como o Cabañas. Então ele resolveu dar oportunidade a elas para que ao menos tentem um futuro melhor no futebol", revela Assunción de González, mulher de José María, agente do jogador, que está gerenciando o local enquanto Cabañas se recupera do tiro que sofreu na cabeça, no México. "Já era para estarmos até com os alojamentos prontos, mas o incidente acabou atrapalhando nossos planos", lamenta. Em janeiro, após a notícia do atentado a Cabañas, muitas crianças se desesperaram, a comoção foi geral, e o local teve de ser fechado por alguns dias.

O hotel para os garotos está em construção e contará com 22 aconchegantes apartamentos, além de ginásio coberto, sala de jogos, sauna e restaurante. No complexo, com 40.000 m², são três campos de futebol, um com medidas oficiais, arquibancadas e sala vip, mais três quadras de grama sintética, uma com grama natural e duas quadras de tênis, tudo com vestiários próprios. Os jovens ganham uniforme e alimentação no local. Têm, apenas, de adquirir suas chuteiras. Para a manutenção do local, Cabañas cobra uma taxa administrativa de 60.000,00 guaranis. Parece muito, mas na conversão para o real, dá para ver que a maioria das crianças tem condição de pagar. São R$ 22,50 por mês.

Os treinos começam cedinho. Às 8 horas, de terça e quinta-feira, eles já estão no campo.

Além do aprendizado das técnicas de jogar futebol, com professores especializados, os meninos podem vislumbrar, no futuro, se tornarem jogadores profissionais. Isso pelo fato de Cabañas ter feito um acordo com o Deportivo Caaguazú, da Segunda Divisão, que receberá os garotos quando estiverem preparados para virarem jogadores. / F.H.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.