Impasse na contratação de Wesley

Apesar do otimismo em relação à contratação de Wesley nos últimos dias, a diretoria do Palmeiras deu uma recuada em suas declarações e ainda tem de definir vários pontos para conseguir trazer o volante de volta ao Brasil.

O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2012 | 03h05

De acordo com o clube, o empresário do jogador pediu mais do que havia sido combinado e o Palmeiras não pretende colocar mais dinheiro na negociação.

A assessoria de Wesley rebateu. "Estranham-se as declarações do diretor jurídico do Palmeiras, Piraci Oliveira, sobre um possível aumento na proposta inicial por parte do representante do jogador, já que até o momento houve apenas uma oferta, não respondida pelo clube."

O Palmeiras já havia se acertado com o Werder Bremen para contratar Wesley, e pagaria aos alemães 6 milhões (cerca de R$ 13, 8 milhões), dividido em três parcelas iguais.

O maior problema entre os clubes estava na forma de pagamento, já que o Werder não aceita o banco que foi proposto pelo clube paulista.

O empresário Hugo Garcia está na Alemanha tentando resolver todos os problemas que impedem o retorno de Wesley ao País. Segundo o diretor de futebol César Sampaio, o Palmeiras espera definir a contratação até no máximo sexta-feira.

Luiz Felipe Scolari foi quem pediu o volante, que ganharia vaga de titular - ele entraria no time no lugar de João Vítor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.