Imperador ainda não jogou nem 90 minutos

Em oito meses como jogador do Corinthians, Adriano produziu uma grande confusão fora de campo, uma lesão séria e muitas faltas e atrasos em treinos. Até gol - o único em mais de um ano -, fundamental para título brasileiro, ele fez. Mas o que o Imperador ainda não conseguiu foi completar 90 minutos em campo pelo clube.

PAULO GALDIERI, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2011 | 03h03

Sem conseguir entrar em forma e colecionando insatisfeitos no Parque São Jorge - inclusive o técnico Tite -, Adriano entrou em campo em quatro jogos desde sua contratação, em abril. E, nessas quatro partidas, ele não chegou a somar 90 minutos em ação. Até agora, o atacante que foi incorporado ao elenco apadrinhado por Ronaldo jogou exatos 85 minutos pelo Corinthians.

Sem conseguir perder peso e, consequentemente, longe das condições físicas mínimas para aguentar começar uma partida, Adriano só participou de parte das etapas finais nas quatro partidas em que jogou.

O máximo que o camisa 10 ficou em campo foram 27 minutos (e isso, somando também os acréscimos de todas as quatro partidas). O "recorde" de permanência foi justamente no jogo em que sua atuação foi mais marcante, contra o Atlético-MG.

Minuto caro. A produção de Adriano em campo tem sido tão rara que o preço de seu "minuto trabalhado", isto é, os seus vencimentos acumulados ao longo de oito meses divididos pelos tempo em que ele entrou em campo, virou uma pequena fortuna.

A cada minuto que jogou, o Imperador (cujo salário mensal é de cerca de R$ 380 mil) acumulou quase R$ 33 mil.

Adriano foi apresentado pelo Corinthians em 31 de março. Logo nos primeiros treinos, se machucou gravemente e sua estreia só aconteceu na metade de outubro. Mesmo depois disso, ele não conseguiu entrar em forma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.