Ingleses resignam-se com a má campanha

Londres estava pronta para vibrar com a seleção, mas, no fim da partida, torcida reconheceu que ''não havia um time''

Flávia Guerra, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2010 | 00h00

Londres se pintou de vermelho e branco ontem, um domingo ensolarado, para torcer pela Inglaterra. Pubs decorados com bandeirinhas, caras-pintadas, turistas comprando a camisa da seleção. "Nunca vi a cidade tão mobilizada. Isso de que só o Brasil para em dia de jogo é mentira. Durante a 1.ª fase, no meu escritório, todos eram dispensados na hora dos jogos ingleses", dizia um arquiteto português que mora e trabalha na capital inglesa.

Mas, com 2 a 0 no placar para a Alemanha ainda no 1.º tempo, o comentarista da BBC decretava: "A Copa para os Reds está terminando?". A torcida irritava-se com as dificuldades defensivas. "É um absurdo. Não temos defesa", gritava o torcedor Richard.

Contudo, ele e as cerca de 500 pessoas que lotaram o pub Ten Bells voltaram a acreditar na virada. A Inglaterra já descontara quando Lampard chutou, a bola bateu no travessão e entrou, mas o juiz não deu o gol. "Não é possível! Isso só pode ser vingança por 66", brincou o broker da bolsa.

"Merecemos perder. Mesmo que aquele gol tivesse sido dado, levaríamos outros dois. A Inglaterra jogou como se não fosse um time", disse o desolado Matt, enquanto um torcedor alemão mandava seu recado: "Diga ao Mick Jagger (que assistiu ao jogo in loco): "No, you can"t always get what you want (Não, você não pode ter sempre o que quer, em ironia à canção dos Rolling Stones)."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.