Ingressos para corintianos estão no fim

Os torcedores do Corinthians que ainda estão pensando em viajar para o Japão precisam começar a estudar uma "estratégia de guerra'' para conseguir os poucos ingressos que ainda serão destinados ao clube. Ontem, os organizadores do Mundial de Clubes informaram que haverá uma última rodada de vendas de entradas no mês de novembro. Mas alertaram que a quantidade de ingressos disponíveis para os torcedores do campeão da Libertadores está terminando.

ZURIQUE, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2012 | 03h04

"Ficamos muito surpreendidos com a procura por entradas no Brasil'', admitiu Suminori Gokoh, diretor-gerente do comitê organizador japonês. Segundo ele, entre o início de setembro e o dia 23, a Fifa abriu as vendas pelo seu site. "Vendemos 20 mil entradas. Metade delas foi para brasileiros'', constatou.

O executivo indicou que uma nova rodada de vendas será feita no início de novembro. Mas ainda está em negociação o volume de bilhetes.

"Sugiro aos brasileiros que fiquem de olho no site'', disse. "Não há muitos ingressos sobrando para a semifinal e, para a final, o número é ainda inferior.''

Os japoneses trabalham com o cenário de entradas esgotadas para a final. Hoje, em Zurique, Edu Gaspar, que representa o time brasileiro, tentará convencer os japoneses a elevar as cotas do Brasil.

"Vamos mostrar a grandeza do Corinthians'', planeja.

Mil ingressos. Os organizadores garantem que o Corinthians receberá mil entradas para cada jogo. Edu diz que isso não da "nem para o começo''. Por isso, quer negociar uma ampliação. "Temos grandes necessidades''.

Além dos ingressos pelo site, os japoneses vão colocar entradas à venda em lojas pelo país. Edu está empenhado em negociar uma solução que evite que torcedores saiam do Brasil sem ingressos. "Isso não seria bom, nem para nós e nem para eles.''

Já Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, presidente do Santos e membro do comitê da Fifa que organiza o Mundial, tem outra avaliação.

"Não vai faltar ingresso. Estamos sabendo que a procura tem sido até mesmo inferior aos jogos do Mundial do ano passado. Nesse Mundial não tem nem Neymar nem Messi'', justificou o presidente. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.