Ingrid leva nota zero, mas vai à final nos saltos ornamentais

'Musa' erra em fase que não eliminaria ninguém

Estadão Conteúdo

10 de julho de 2015 | 15h56

Bastante procurada por parte da imprensa brasileira depois de receber comentários machistas em fotos nas redes sociais e logo tratada como "musa" dos saltos ornamentais no Pan, Ingrid Oliveira parece ter sentido a pressão pela exposição inesperada. Nesta sexta-feira, ela errou um salto na fase de classificação, caiu de costas na água e recebeu nota zero de todos os juízes. Saiu da piscina aos prantos, inconsolável.

Menos mal que as apresentações desta sexta-feira na plataforma não valiam nada. Afinal, apenas oito atletas (do Brasil e dos países da América do Norte) se inscreveram para a competição nos Jogos Pan-Americanos. Como a final tem a participação de até 12 competidores, ninguém seria eliminado.

Em termos competitivos, a falha de Ingrid não fez a menor diferença para ela. A brasileira de 19 anos somou 266.70 pontos após cinco saltos e terminou em sétimo. Tivesse pontuado naquele quarto salto, poderia ter ficado em terceiro. Mas a classificação desta etapa não é levada para a final.

A melhor das eliminatórias foi Roseline Filion, do Canadá, seguida da mexicana Paola Espinosa e da norte-americana Samantha Bromberg. Giovanna Pedroso, de 16 anos, que compete ao lado de Ingrid na prova sincronizada, acabou em quinto, com 295.50 pontos.

A final da plataforma feminina será no sábado, às 21h pelo horário de Brasília. O México é soberano na modalidade e, em Guadalajara, ganhou todas as medalhas de ouro e três das quatro de prata possíveis. Assim, chega como favorito.

Abaixo a foto que causou furor nas redes sociais antes do início dos Jogos Pan-Americanos. 

 

First training 💦💪🏻🇨🇦

Uma foto publicada por Ingrid Oliveira (@ingrid_oliveira96) em

 


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.