Inter sem mistérios para a estreia no Mundial de Clubes

Celso Roth fechou o treino, mas não escondeu a formação do time, que amanhã enfrenta o[br]Mazembe, do Congo

, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2010 | 00h00

O Internacional está prontinho para estrear amanhã no Mundial de Clubes, diante do Mazembe, às 14 horas (de Brasília). Ontem, o técnico Celso Roth optou por um treino fechado após pouco mais de 15 minutos de movimentação, mas não obteve sucesso em despistar ninguém no estádio Sultan Bin Zayed, em Abu Dabi.

O campo é revestido por uma tela azul e, mesmo do lado de fora, todos puderam acompanhar a atividade. Apesar da discrição, o treinador não preparou nenhuma novidade, manteve a formação com a qual treinou no sábado.

Ao tentar esconder o treino, o técnico queria mesmo mais privacidade para acertar o posicionamento de cada atleta. Durante a atividade, Roth reuniu os 11 titulares e gesticulou para determinados setores do gramado. Atento ao estilo do desconhecido Mazembe, que fez muitas faltas na vitória por 1 a 0 sobre o Pachuca, o treinador conversou bastante com os homens de frente, pedindo movimentação. A atividade de ontem foi importante para definir os acertos finais antes do jogo, pois hoje o Colorado fará apenas reconhecimento do gramado do estádio Mohammed Bin Zayed, palco da partida.

Questionado sobre a superioridade do Inter, Roth lembrou que o adversário pode ter uma certa vantagem por já ter jogado no Mundial. "Aparentemente isso dá um pouco mais de segurança", disse. "Mas aí passa pela qualificação."

A Inter de Milão também só estreia no Mundial nesta semana: quarta-feira, contra o sul-coreano Seongnam Ilhwa.

A grande expectativa é que a final do Mundial seja decidida entre brasileiros e italianos. Porém, assim como faz Celso Roth, o técnico Rafa Benítez, da Inter de Milão, evita falar de decisão e adverte: "Respeitamos muito o nosso adversário das semifinais. A gente não tem de falar de um jogo quando ainda não jogamos o anterior." Pressionado pelos tropeços da Inter, o treinador aposta suas fichas na conquista do Mundial para não perder o emprego. "Tenho certeza que, se ganhar, ficarei por um longo tempo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.