Fadi Al-Assaad/Reuters
Fadi Al-Assaad/Reuters

Internacional deve passar por forte reformulação

Técnico Celso Roth e Alecsandro deverão ser as primeiras vítimas após vexame em Abu Dabi

, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2010 | 00h00

As cicatrizes da derrota histórica na semifinal do Mundial de Clubes diante do Mazembe, do Congo, vão demorar a desaparecer. Ontem o ambiente na concentração colorada em Abu Dabi era de muita tristeza. Rafael Sóbis, depois de assistir ao teipe da partida, culpou-se pelas oportunidades perdidas e teve de ser consolado no treinamento. E a direção do Internacional já começa a planejar uma reformulação profunda.

Veja também:

linkNovo presidente do Grêmio ironiza Inter

O técnico Celso Roth e o atacante Alecsandro deverão ser as primeiras vítimas do vexame de Abu Dabi. Embora a diretoria ainda não confirme, não há clima para a permanência do treinador, cujas alterações durante o jogo - tirou Sóbis e Tinga - e a insistência em manter um esquema de jogo que não funciona desde a saída de Taison foram muito contestados. Roth nem assistiu ao jogo da Internazionale ontem com os integrantes da diretoria e da comissão técnica.

Alecsandro vem sendo contestado frequentemente pela torcida. A atuação apática de anteontem da derrota por 2 a 0 para o Mezembe, praticamente selou sua saída: basta chegar uma proposta. A direção espera que o futebol árabe se interesse e negocia o retorno de Luis Fabiano, do Sevilla, ao futebol brasileiro.

Outros jogadores que entraram em campo contra o Mazembe também correm risco de sair. Renan e Índio encabeçam a lista. Guiñazu e Kléber podem jogar na Europa. O Inter enfrenta o Seongnam, sábado, na decisão do terceiro lugar do Mundial.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInternacionalMundial de Clubes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.