Interpol vê possibilidade de ataque terrorista durante Olimpíada

Há uma "real possibilidade" de que aOlimpíada de Pequim seja alvo de atentados terroristas ou quegrupos contrários ao regime chinês ataquem atletas durante osJogos, disse na sexta-feira o secretário-geral da Interpol. "Uma tentativa de terrorismo é uma possibilidade e umapreocupação real que todos os países anfitriões de Olimpíadascompartilham nos últimos anos", disse Ronald Noble na aberturada Conferência Internacional sobre Cooperação de Segurança, emPequim. "Os recentes protestos relativos ao Tibet introduziramsignificativas complicações adicionais para as consideraçõesnormais de segurança para um grande evento internacional comoesta Olimpíada", acrescentou, referindo-se aos protestospromovidos por simpatizantes da causa tibetana durante apassagem da tocha olímpica por várias cidades do mundo, emreação à repressão do regime chinês a distúrbios ocorridos emLhasa no mês passado. "À luz dos fatos recentes, todos os países cujos atletasvão participar e cujos cidadãos vão comparecer à Olimpíada dePequim devem estar preparados para a possibilidade de quegrupos e indivíduos responsáveis pela violência durante orevezamento global da tocha realizem seus protestos nospróprios Jogos", disse ele. "Essas atividades podem variar de um comportamentobaderneiro, como bloquear importantes rotas de transporte ou ainfra-estrutura, ou interferir nas competições, até atos maisviolentos, como atacar autoridades e atletas olímpicos oudestruir propriedades", afirmou Noble. "Pior ainda, devemos estar preparados para a possibilidadede que a Al Qaeda ou algum outro grupo terrorista tente lançarum ataque letal contra esta Olimpíada."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.