Investimento traz resultado

Investimento é tudo. Muita gente acompanhou a época do Mamede (Joaquim Mamede, ex-presidente da Confederação Brasileira de Judô), quando enfrentávamos seletiva para tudo e ainda tínhamos de arrumar dinheiro para viajar, patrocínio para poder representar o País... As condições não eram tão favoráveis. Era preciso lutar fora e dentro do tatame. Depois aconteceu a transição (saiu Mamede e entrou Paulo Wanderley) mas ainda as seletivas eram um empecilho. Acho que a opção por classificar os atletas por ranqueamento foi importante porque, até que isso acontecesse, a gente se preocupava mais em lutar contra uma adversária e estudava só ela e ela estudava você. São dificuldades que foram superadas. Evoluímos. Foram passos dados até que esta medalha finalmente saísse. Foi a melhor coisa que poderia acontecer. Eu acho que o ouro da Sarinha é importante não só para o judô mas para o esporte como um todo. Veja bem, ela veio do Piauí... O esforço no começo foi só dela e do técnico, que investiu exclusivamente nela - se bem que começou a mostrar resultados desde cedo. Depois aconteceram os investimento do País, da Confederação, do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) . Sem o investimento ninguém cresce. Tomara que continue e não seja assim só até 2016. Tem de ser contínuo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.