Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Ippon no último segundo dá bronze a Sarah Menezes no Mundial de judô

Após derrota na semifinal, brasileira supera a norte-coreana Sol Mi Kim para ficar com a medalha

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2013 | 17h17

RIO - Sarah Menezes não ganhou a medalha de ouro que se esperava dela no Mundial de Judô do Rio, mas o bronze conquistado nesta segunda-feira teve um gostinho especial. Ele veio no último golpe, quando o cronômetro apontava um segundo para o fim dos cinco minutos regulamentares de luta contra a norte-coreana Sol Mi Kim.

Até aquele momento, a luta estava empatada. Sarah Menezes levou as duas primeiras punições, a asiática se fechou, mas também foi advertida duas vezes. A igualdade levaria a luta para o golden score, mas Sarah conseguiu um ippon inesperado, levantando a rival do chão e jogando-a de costas no tatame para o delírio da torcida.

Ao conquistar o bronze no Rio, Sarah Menezes, piauiense de apenas 23 anos, chegou à sua terceira medalha seguida em Mundiais, a terceira bronzeada. Assim, se iguala ao também campeão olímpico Aurélio Miguel, único, dentre os brasileiros, que também tem três medalhas em competições deste nível.

Sarah Menezes chegou ao Mundial com enorme expectativa para que conquistasse a primeira medalha de ouro do judô feminino brasileiro em mundiais, favorita por ser a atual campeã olímpica e liderar o ranking.

Na fase inicial, pela manhã, venceu três lutas, com um wazari sobre Aigul Baikuleva (Casaquistão) e ippons em cima de Amelie Rosseneu (Bélgica) e Ebru Sahin (Turquia). Contra todas, teve dificuldade de fugir da marcação, uma vez que as adversárias estudaram bastante os movimentos da brasileira.

Na semifinal, já no período da tarde, Sarah Menezes acabou derrotada por Amartuvshin Dashdavaa, da Mongólia. A rival conseguiu pontuar primeiro, com yuko, e obrigou a brasileira a ser mais agressiva. Numa tentativa de queda, Sarah levou o contragolpe e sofreu novo yuko. Em vantagem, a atleta mongol passou a administrar luta, sem competitividade, aproveitando que só quatro punições afetam o resultado pelo novo regulamento.

Após a luta, Sarah saiu do tatame descontente, reclamando principalmente da segunda pontuação da rival, em que poderia ter sido marcado wazari para a brasileira, dependendo da interpretação dos árbitros.

Dos cinco medalhistas nos Jogos de Londres/2012 que lutarem nesta segunda-feira no Maracanãzinho (as quatro da categoria até 48kg e Felipe Kitadai na até 60kg), só Sarah e a belga Charline Van Snick, bronze na Olimpíada, voltaram a subir ao pódio. O brasileiro, que também terminou em terceiro em Londres, foi derrotado logo na sua primeira luta no Rio, pelo sul-coreano Won Jin Kim.

As duas finais do dia terão confronto entre Japão e Mongólia. No masculino, luta entre Amartuvshin Dashdavaa e Naohisa Takato. No feminino, vitória de Urantsetseg Munkhbat com uma chave de braço sobre a então bicampeã mundial Haruna Asami.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.