Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

Isabel Clark lamenta desatenção e queda nas quartas de final no snowboard cross

Esperança brasileira nos Jogos de Inverno, atleta não conseguiu sequer avançar à bateria semifinal

AE, Agência Estado

16 de fevereiro de 2014 | 16h57

SOCHI - Se havia uma integrante da delegação brasileira de Sochi de quem se podia esperar um grande resultado, era de Isabel Clark. Mas a carioca decepcionou neste domingo no snowboard cross. Sofreu uma queda nas quartas de final e não conseguiu sequer avançar à bateria semifinal e repetir o melhor resultado do Brasil em Jogos Olímpicos de Inverno: o nono lugar que ela obteve em Turim/2006.

Isabel começou o dia sendo a 12.ª mais rápida da fase de classificação. Assim, passou como segunda cabeça de chave de sua bateria nas quartas de final, podendo escolher o melhor lado para largar. Mas ela acabou atrapalhada pela queda de uma atleta que vinha à frente, em segundo, e também caiu, não conseguindo passar à semifinal entre as três melhores da sua bateria.

"Fiquei triste quando cai porque eu sabia que era possível passar para as semifinais e brigar para chegar à final. Eu estava me sentindo bem, estava contente com a minha adaptação e fiz bons treinos. Mas a pista estava bem exigente e aconteceram várias quedas. Eu me desconcentrei um pouco quando uma menina caiu na minha frente", comentou Isabel.

A carioca sabe porém, que, da mesma forma que confiava que quedas de rivais poderiam ajudá-la até a chegar a uma inédita final olímpica, corria o risco de ela também se acidentar. "Sei que representei bem o Brasil. Poderia ser melhor, mas o snowboard cross é assim mesmo, uma competição muito dura e imprevisível."

Isabel lamentou ter feito apenas dois treinos na pista de Sochi. Como avançou direto após a primeira etapa da etapa classificatória, não precisou descer pela segunda vez. Economizou energias, mas perdeu a chance de se adaptar melhor à pista. Depois, nas quartas de final, encerrou sua participação.

"Acabei ficando um pouco pra trás, mas estava me recuperando, ganhando velocidade e ultrapassando as outras atletas. No penúltimo salto, que é um salto grande com uma aterrissagem dura, perdi um pouco da concentração porque vi uma menina caindo na minha frente e acabei caindo também, infelizmente", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.