Estadão
Estadão

Isaquias conquista o quinto ouro para o Brasil no Pan

Canoagem garante quatro medalhas ao País nesta segunda-feira

PAULO FAVERO / ENVIADO ESPECIAL A TORONTO, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2015 | 11h34

O Brasil conquistou mais um ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. E ele veio na canoagem. Na manhã desta segunda-feira, Isaquias Queiroz ficou no lugar mais alto do pódio ao vencer a final da prova de C1 1.000 metros. É o quinto ouro do Brasil na competição. Antes, já havia conquistado com Érika Miranda e Charles Chibana (judô), Felipe Wu (tiro esportivo) e Marcel Stürmer (patinação artística).

Isaquias fez uma ótima prova na final e ganhou com uma boa vantagem sobre o segundo colocado, o canadense Mark Oldershaw. O brasileiro finalizou a disputa em 4m07s866. O bronze foi para Jose Cristobal, do México.

"Eu senti uma grande pressão porque desde 1999 o Canadá tem dominado esse evento. Eu sabia que meu adversário era um dos favoritos, e também estava ventando um pouco. Mas eu me mantive concentrado nas remadas e fiz meu trabalho", disse Isaquias.

Aos 21 anos, o atleta brasileiro é um fenômeno da canoagem e vem conquistando resultados importantes. Nascido em Ubaitaba, na Bahia, ele foi o primeiro canoísta brasileiro a ser campeão mundial júnior, com vitória na prova de C1 200 metros.

QUATRO MEDALHAS

No total, a canoagem brasileira conquistou quatro medalhas nas disputas desta segunda-feira em Welland. Isaquias Queiroz, que levou um ouro no C1 1.000 metros, também conquistou uma prata no C2 1.000 metros, ao lado de Erlon Silva. Celso Dias e Vagner Souta levaram o bronze no K2 1.000 metros e Ana Paula Vergut também ficou em terceiro lugar no K1 500 metros.

Com duas medalhas no peito, Isaquias foi o grande nome do Brasil, ainda mais porque voltou para a disputa menos de uma hora após conquistar o ouro em outra prova. "A gente sabia que poderia ganhar a medalha, mas que seria difícil. Apesar do cansaço, fomos até o fim e ficamos com a prata."

Seu companheiro Erlon também festejou. "Já somos respeitados pelo nosso trabalho." Os dois cresceram na Bahia, próximo ao Rio de Contas, e lá deram as primeiras remadas. Isaquias é, sem dúvida, o melhor de sua geração e com grande potencial para os Jogos Olímpicos do Rio. "O desafio faz com que a gente se supere sempre. É preciso ter muita força de vontade", contou.

A prova de Celso Dias e Vagner Souta foi bem disputada, inclusive após a disputa, com uma alegação de que a dupla brasileira saiu de sua raia. Mas após análise, a medalha de bronze foi confirmada. "O final da prova teve muita apreensão. Mas conseguimos um resultado tão expressivo", afirmou Celso.

Já Ana Paula Vergut foi a primeira mulher do Brasil a ganhar uma medalha na canoagem. A garota de Cascavel, no interior do Paraná, festejou muito a conquista. "Estou super feliz com isso. Acho que essa medalha inédita ajudará a dar mais visibilidade para o nosso esporte e poderá servir de exemplo para os jovens." (Atualizada às 13h13)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.