Isaquias vai à final do Mundial em 4º tempo após 'trocar' de prova com colega

Fortíssimo candidato à medalha no C1 1.000m nos Jogos Olímpicos do Rio, no ano que vem, Isaquias Queiroz será só espectador da final desta prova no Mundial de Canoagem Velocidade de Milão. Mas isso não é uma notícia ruim. Afinal, o baiano está remando em outra distância na Itália, nos 200 metros, e se classificou para a final, nesta quinta-feira, com o quarto melhor tempo das eliminatórias.

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2015 | 14h45

A troca, determinada pelo técnico espanhol Jesus Morlán, foi decidida para que Isaquias pudesse classificar o Brasil para os Jogos Olímpicos no C1 200m - para tanto, precisa ficar entre os sete primeiros do Mundial. Na prova de 1.000m, na qual o baiano é especialista, o Brasil já tem convite.

O primeiro teste de Isaquias nos 200 metros foi nos Jogos Pan-Americanos e ele saiu-se muito bem, faturando o ouro. No Mundial, foi o quarto mais rápido das eliminatórias, vencendo a sua bateria com o tempo de 38s861. Ficou atrás de um chinês, um bielo-russo e um ucraniano.

A final será no sábado e, para cumprir a meta de classificar o Brasil à Olimpíada, Isaquias só precisa ficar no antepenúltimo lugar entre nove competidores. Se o objetivo for atingido, quem competirá no Rio será Nivalter Santos, quinto colocado no Mundial de 2013, mas que não chegou à final na edição do ano passado.

Em Milão, Nivalter, atleta olímpico em Pequim, está competindo no C1 1.000 metros, a prova de Isaquias. Desacostumado a esta distância, ele foi o antepenúltimo colocado nas semifinais, com o 34.º tempo, apenas.

OUTRAS PROVAS - No K2 (caiaque para dois) 200m, Hans Mallmann e Gilvan Bittencourt se classificaram final B e precisam ficar entre os três primeiros colocados nesta prova (12.º no geral) para se classificarem à Olimpíada.

No K1 (caiaque para um) 1.000m, Hans foi último colocado de sua bateria eliminatória e nem passou à semifinal. Mesmo assim, deve disputar a Olimpíada porque o Brasil tem convite nesta prova. No K2 1.000m, o Brasil não participou do Mundial e assim, já não tem chance de ir à Olimpíada.

Já entre as mulheres, Ana Paula Vergutz foi 22.ª colocada da semifinal do K1 500m, prova para a qual o Brasil tem convite para a Olimpíada. No K2 500m, o País não enviou representantes a Milão e abriu mão de tentar uma vaga olímpica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.