AP
AP

Isinbayeva diz que punições da WADA à Rússia são 'assassinas'

Duas vezes campeã olímpica, russa critica decisão de obrigar os atletas a competir com uma bandeira neutra

EFE, EFE

10 de dezembro de 2019 | 20h49

Yelena Isinbayeva, duas vezes campeã olímpica do salto com vara, não poupou palavras para condenar as sanções impostas pela Agência Mundial Antidoping (WADA) contra a Rússia, por práticas de doping. "São extremamente cruéis, injustas, atrozes e assassinas", escreveu a ex-atleta no Instagram.

Isinbayeva admitiu que ninguém esperava uma decisão favorável da WADA para o esporte russo, segundo ela, pelas opiniões sobre o caso emitidas pelos veículos de imprensa. "Decidiremos conjuntamente se aceitamos ou apelamos da decisão. Em breve, realizaremos um conselho da Rusada (Agência Russa Antidoping), a decisão que tomaremos será um ponto de partida para nossas ações", garantiu.

Isinbayeva disse ser difícil entender como estão sendo defendidos os direitos dos atletas limpos do doping, com a decisão de obrigá-los competir sob uma bandeira neutra. A WADA condenou ontem excluir a Rússia de competições internacionais por quatro anos, devido manipulação de dados esportivos do laboratório de Moscou, em punição que incluirá os Jogos Olímpicos de 202 e até a Copa do Mundo de 2022.

As cidades russas não poderão concorrer aos Jogos Olímpicos de Verão de 2032, e a bandeira do país não poderá ser exibida em nenhum evento esportivo internacional, acrescentou a decisão da Wada. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.