Isinbayeva lança campanha nas redes sociais para ir ao Rio

Russa reclama da suspensão da IAAF ao país

O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2015 | 15h44

A russa Yelena Isinbayeva promete não desistir de participar dos Jogos Olímpicos do Rio-2016 depois da suspensão imposta pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) à Federação Russa de Atletismo (ARAF, na sigla em russo), na sexta. A saltadora iniciou uma campanha nas redes sociais nesta quarta-feira. Ela publicou uma foto no Instagram, segurando um cartaz com sua foto e a hashtag #IsinbayevaRio2016, acompanhado de um texto publicado em inglês e russo.

"Queridos amigos. Hoje, mais do que nunca, eu e todos os atletas honestos precisamos de seu apoio. Sim, há o problema do doping, mas não só no nosso país, mas em todo o mundo dos esportes. É claro que precisa ser resolvido, mas não de uma maneira tão cruel e injusta, como a exclusão da nossa federação. Culpar de forma indiscriminada o uso de drogas ilícitas é desonesto", escreveu Isinbayeva.

 

Dear friends, Today-as never before- all honest athletes and I need your support. Yes, the problem with doping exists and not only in our country but in the whole sports world. Certainly it needs to be solved but not by such tough and unfair methods as exclusion of our Athletics Federation from IAAF. It is unfair to blame all sportsmen for the use of prohibited drugs. Those sportsmen and trainers who have violated the rules must take the responsibility for themselves. Honest sportsmen including myself, who are not involved in this scandal, cannot participate in all international competitions just because WE must take the responsibility for irresponsible and actions of our team-mates... Is it fair? Also there are few chances that we will be allowed to compete in a winter world championship that will be held in March,2016 in Portland. You all know that for me personally the year of 2016 is a final one in my sports career and I definitely want to end it brilliantly. But for now there is no confidence and guarantees that it will happen so. I launch this hashtag #IsinbaevaRIO2016 to support all honest and fair sportsmen who deserve the right to participate in all competitions and mainly in the Olympic Games in Rio 2016. We can't be quiet, we must stand for our rights because today the whole world of athletics is under threat.

Uma foto publicada por Yelena (@isinbaevayelena) em

A IAAF decidiu punir o atletismo russo como um todo e não somente alguns atletas porque entendeu, a partir de um relatório da Agência Mundial Antidoping (Wada) que o doping lá ocorria de forma sistemática, com ajuda do governo, da federação, de técnicos, da agência antidoping e até do laboratório credenciado para fazer as análises.

Entre as suspeitas, está a de que as amostras que poderiam indicar a presença de substâncias dopantes eram substituídas por outras "limpas", ou simplesmente destruídas. Assim, não haveria como comprovar a lisura dos exames feitos pelos atletas "limpos".

Isso faz com que a dúvida recaia sobre todos os atletas russos, o que inclui Isinbayeva, ainda que ainda não tenha surgido nenhum indício de que ela fosse uma das integrantes do esquema.

"Atletas e seus treinadores que tenham violado as regras e cruzaram a linha proibida devem e têm de ser responsáveis por si mesmos. Quem está limpo e não envolvido neste escândalo, particularmente atletas como eu, ficar proibido de estar em todas as competições internacionais, apenas porque temos de ser responsáveis pelo comportamento irresponsável dos nossos parceiros na equipe... É sério?", questiona Isinbayeva.

A saltadora quer estar presente já no Mundial Indoor de Portland (EUA), evento no qual pretendia fazer seu retorno às competições após um período afastada. "Vocês sabem que 2016 é o final da minha carreira esportiva e, claro, quero terminá-la de forma brilhante. Mas até agora não há nenhuma garantia de que vai acontecer", completou.


Mais conteúdo sobre:
atletismo Yelena Isinbayeva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.