Istambul teme que protestos afetem candidatura olímpica

O prefeito de Istambul admitiu nesta segunda-feira que o prolongamento dos protestos na Turquia podem transformar as esperanças da cidade de sediar os Jogos Olímpicos de 2020 em um "sonho" distante. Assim, faltando menos de três meses para o Comitê Olímpico Internacional (COI) definir qual cidade receberá o evento, Kadir Topbas pediu para que as pessoas não persistam com as manifestações.

AE-AP, Agência Estado

24 de junho de 2013 | 16h21

"Entramos agora na fase final (da disputa pela sede) dos Jogos Olímpicos de 2020", disse Topbas. "Se (os incidentes) continuam e há problemas, os Jogos de 2020 serão apenas um sonho", completou. "Istambul perde, a nação turca perde. Nós todos sabemos quem vai ganhar".

Com Madri e Tóquio como adversárias, Istambul disputa pela quinta vez o direito de sediar os Jogos Olímpicos - as outras quatro candidaturas fracassaram. O COI vai escolher a cidade para receber a Olimpíada de 2020 no dia 7 de setembro, mas antes disse que vai apresentar o seu relatório sobre as candidatas.

As imagens de violência durante os protestos, incluindo o uso de bombas de gás lacrimogêneo pela polícia e de canhões de água contra os manifestantes, têm manchado a imagem da Turquia e se tornaram um desafio para a candidatura olímpica.

O comitê de candidatura de Istambul disse que o retorno dos membros do COI tem sido positivo e compreensivo. Os protestos foram desencadeados no dia 31 de maio por uma repressão aos ativistas ambientalistas que desejavam evitar a realização de obras do Parque Gezi.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaIstambulcandidaura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.