Itália lembra histórico para 'comemorar' grupo da morte

Para o treinador, questão física será decisiva no grupo

Agência Estado

06 de dezembro de 2013 | 17h05

COSTA DO SAUIPE - A Itália chegou à Copa do Mundo de 2010 como favorita num grupo que tinha Paraguai, Eslováquia e Nova Zelândia. Terminou em último na chave e foi eliminada. Em 1982, a equipe foi campeã depois de um começo cambaleante e de eliminar Brasil e Argentina na segunda fase. É esse histórico que motiva o técnico Cesar Prandelli depois de ver seu time cair no grupo de Inglaterra e Uruguai no sorteio do Mundial do ano que vem.

"São três seleções campeãs do mundo, mas não estamos preocupados. Estaria preocupado se disséssemos hoje que será fácil. Quando as coisas são difíceis, chegamos melhores preparados", disse Prandelli, em entrevista à Sky Sports italiana.

Para o treinador, o físico será decisivo no grupo. Isso porque a estreia da equipe será já no clássico contra a Inglaterra, no calor e na umidade de Manaus. "Temos um grupo difícil, o mais difícil, mas temos que chegar preparados. Temos que suar", disse ele, que acredita que a Itália tem a vantagem de ter jogado a Copa das Confederações e já conhecer as condições climáticas.

"Vamos nos preparar mentalmente e fisicamente. As condições físicas serão determinantes. Estamos tentando mudar nosso estilo de jogo. Mudar a cultura não é fácil", completou Prandelli, que também pediu, desde já, que os clubes italianos liberem seus atletas o quanto antes para o seu elenco chegue ao Mundial com o melhor preparo físico possível.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolseleção italiana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.