Rebecca Blackwell/ AP
Rebecca Blackwell/ AP

'Italiana' garante mais um bronze para o Brasil na esgrima do Pan

Nathalie Moellhausen assegura pódio para equipe brasileira

Estadão Conteúdo

24 de julho de 2015 | 19h22

Italiana naturalizada brasileira, Nathalie Moellhausen garantiu mais uma medalha para o País na esgrima dos Jogos Pan-Americanos. Depois de ganhar o bronze na disputa individual, ela levou a equipe feminina da espada nas costas para faturar a medalha bronzeada também na competição por equipes, nesta sexta-feira, em Toronto.

Afinal, foi responsável por 21 pontos da vitória do Brasil sobre Cuba, por 38 a 29, na disputa do terceiro lugar. Diferente da competição individual, em que os derrotados na semifinal ficam com o bronze diretamente, por equipes existe o jogo que decide quem termina em terceiro e quem fica em quarto.

Antes, Nathalie também havia fundamental na vitória por 45 a 39 sobre a Argentina, na estreia. Por pouco o Brasil não venceu também os EUA, favoritos da competição, na semifinal. O jogo terminou empatado por 31 a 31 e foi para o golden score. Ali, Nathalie foi tocada primeiro pela americana Katherine Holmes, exatamente a rival que a tirou da final pan-americana.

A medalha, lógico, não é só de Nathalie. A equipe, afinal, também teve grandes atuações de Amanda Simeão e Rayssa Costa nessa que é a principal arma do País. O Brasil é 20.º do ranking mundial, atrás de EUA (10.º), Venezuela (16.º) e Canadá (17.º). Só o melhor das Américas vai ganhar vaga na Olimpíada.

Na espada masculina, a equipe formada por Athos Schwantes, Nicolas Ferreira e o garoto Alexandre Camargo, de apenas 16 anos, levou 45 a 28 da Venezuela na estreia e foi eliminada da briga pelo ouro. Na repescagem, perdeu do Canadá e venceu a Argentina, terminando em sétimo.

RECORDE

Com mais esta medalha de bronze, a quarta conquistada em Toronto, o Brasil já tem, quantitativamente, sua melhor campanha na história da esgrima no Pan. Superou as três medalhas obtidas (todas de bronze) obtidas tanto no Rio, em 2007, quanto em Guadalajara, em 2011.

Depois de subir ao pódio com Renzo Agresta (sabre), Nathalie (espada) e Ghislain Perrier (florete). Na sexta-feira, o País ainda tem mais duas chances de pódio nas competições por equipes no florete. No masculino, estreia contra Porto Rico e depois pega Canadá ou Venezuela. No feminino, começa contra o Chile e depois enfrenta EUA ou Canadá.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosesgrima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.