Rob Schumacher/ USA Today Sports
Rob Schumacher/ USA Today Sports

Italiana naturalizada garante o bronze para o Brasil fica na esgrima

Nathalie Moellhausen fez sua estreia em Pan-Americanos

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2015 | 20h08

Ainda não foi desta vez que o Brasil chegou à final dos Jogos Pan-Americanos na esgrima. Depois do bronze de Renzo Agresta no sabre, segunda-feira, nesta terça foi a vez de Nathalie Moellhausen, italiana naturalizada brasileira, ser derrotada na semifinal, pela norte-americana Katherine Holmes. Assim como Renzo, fica com a medalha de prata.

Campeã mundial por equipes em 2009 e bronze no individual no Mundial de 2010, sempre defendendo a Itália, Nathalie tirou um ano sabático depois da Olimpíada de Londres e, quando voltou à esgrima, passou a utilizar o passaporte brasileiro. Em sua estreia em Jogos Pan-Americanos, já garantiu o bronze na espada em Toronto.

Nathalie tem cidadania brasileira desde que nasceu, uma vez que os avós nasceram no País e moram em São Paulo. Mesmo quando competia pela Itália, já falava português fluente. Mas só após perder a titularidade na seleção europeia - foi reserva em Londres -, passou a defender o Brasil.

Número 21 do ranking mundial, fez duelo equilibrado contra Holmes, que está três posições abaixo dela na lista e venceu por 10 a 7. Antes, para chegar à semifinal, a brasileira havia vencido a colombiana Laskmi Olarte e a venezuelana Eliana Lugo.

Outra brasileira na disputa, Rayssa Costa venceu quatro de cinco jogos em seu grupo, mas acabou eliminada na primeira rodada de mata-mata, pela venezuelana Lugo, por 15 a 14. Ela, Amanda Simeão e Nathalie voltam a competir no sábado, por equipes. A espada é a arma mais forte do Brasil no feminino.

MASCULINO

Entre os homens, Athos Schwantes (142.º do mundo) e Nicolas Ferreira (113.º) tiveram mais derrotas que vitórias na poule (como é chamada a fase de grupos da esgrima) e não chegaram à disputa por medalhas. Nicolas perdeu do norte-americano Jason Pryor (58.º), nas oitavas de final, por 15 a 12. Athos estreou vencendo Reynier Henrique (56.º), de Cuba, por 14 a 13, mas depois perdeu do argentino José Felix Dominguez (178.º), por 15 a 6. Por equipes, Athos e Nicolas serão acompanhados do garoto Alexandre Camargo, de apenas 16 anos, um dos caçulas do Time Brasil no Pan.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosesgrima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.