Daniel Zappe/CPB/MPIX
Daniel Zappe/CPB/MPIX

Ítalo Pereira e Ruan Souza faturam ouros no Mundial Paralímpico

Brasileiros triunfam em suas provas no início do quarto dia de disputas na Piscina Olímpica Francisco Marquez

Rafael Franco / enviado especial à Cidade do México, Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2017 | 16h02

A natação do Brasil conquistou mais duas medalhas de ouro no Mundial Paralímpico de Natação, na manhã desta terça-feira. Ítalo Pereira e Ruan Souza triunfaram em suas provas no início do quarto dia de disputas na Piscina Olímpica Francisco Marquez, na Cidade do Mexico - mesmo palco que abrigou a modalidade na Olimpíada de 1968.

+ Brasil fatura mais 6 pódios e ocupa 4º lugar no Mundial Paralímpico

+ Daniel Dias conquista tetra dos 50 metros costas e amplia hegemonia

O primeiro a assegurar lugar no topo do pódio foi Ítalo Pereira, que faturou o seu primeiro ouro em um Mundial Paralímpico ao vencer a final dos 100 metros costas na categoria S7.

Medalhista de prata no Mundial de Glasgow, em 2015, o nadador nascido na cidade de Porto Nacional (TO), deu continuidade à série de feitos expressivos que começou a acumular justamente há dois anos, quando também amealhou um ouro e três bronzes no Jogos Parapan-Americano de Toronto, antes de ganhar um bronze nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016.

Foi mais um capítulo da superação de Ítalo Gomes, de apenas 22 anos, que desde os primeiros dias de vida encarou dificuldades. Ele nasceu com mobilidade reduzida devido a uma rubéola congênita e só começou a nadar aos 13 anos de idade. Mas, já com 14, obteve índices para provas nacionais. A carreira como paratleta engrenou rápido e, com apenas 16 anos, disputou os Jogos Paralímpicos de Londres-2012.

Desta vez, Ítalo garantiu o ouro ao terminar a prova em 1min13S77 e superar com folga o argentino Matias de Andrade, segundo colocado com 1min15s39, enquanto o bronze ficou com o croata Ante Rada, com 1min18s10. Outro único nadador presente nesta decisão, o norte-americano Caleb Cripe foi o quarto e último colocado, com 1min22s95.

Ítalo destacou que este seu triunfo foi uma boa forma de iniciar com o pé direito um ciclo que mira principalmente a Paralimpíada de 2020. "Essa medalha foi mais um passo importante para a nossa preparação, cujo foco total está em Tóquio-2020. Estar conseguindo para nadar para 1min13s na altitude foi bom, embora eu quisesse ter nadado para 1min13s. Estou bastante feliz, a gente treina para isso todo dia e foi uma missão cumprida", comemorou.

RUAN SOUZA 

O paulista Ruan Souza conquistou o ouro na prova dos 100 metros borboleta na classe S9 ao cronometrar o tempo de 1min13s21, sendo que ele foi o único nadador da sua categoria a participar da final. Desta forma, o paratleta de 25 anos também ajudou o Brasil a passar a acumular dez ouros no quadro de medalhas do Mundial.

O País ocupa a quarta posição, logo atrás de Estados Unidos e Itália, que têm 11 ouros cada, mas os norte-americanos estão à frente dos italianos pelo maior número de pratas. Os chineses lideram com folga, com 17 ouros.

Nascido em Taubaté, Ruan já vinha de uma medalha de bronze obtida em uma prova do revezamento 4x100m medley nos Jogos Paralímpicos do Rio, em 2016. E agora obteve novo feito de uma trajetória como paratleta, cuja existência foi motivada por um drama sofrido ainda na sua infância. Ele foi atropelado quando tinha apenas 11 anos de idade e, por causa do acidente, ficou com uma perna menor do que a outra. E, após enfrentar algumas complicações com o membro atingido, optou por buscar a sua classificação funcional e ingressou na modalidade.

Agora campeão do mundo, Ruan revelou que também precisou superar alguns obstáculos impostos pela condição climática no México para triunfar nesta terça. "A prova em si não foi com o tempo que eu imaginava que seria, mas isso aconteceu um pouco por causa da gripe que eu peguei aqui e da altitude, mas o título de campeão mundial veio, apesar do tempo", festejou.

DANIEL DIAS - Em outra disputa realizada na manhã desta terça, Daniel Dias liderou com folga as eliminatórias da prova dos 50 metros livre classe S5 do Mundial do México, onde o astro brasileiro já acumula três medalhas de ouro e lutará para conquistar mais uma na final marcada para acontecer à noite, em prova prevista para ocorrer às 22h51 (no horário de Brasília).

Dono de 27 medalhas de ouro em Mundiais, o maior paratleta da história do País avançou à decisão por medalhas desta prova como líder ao cravar o tempo de 34s67, quase um segundo mais rápido do que o segundo colocado desta bateria qualificatória, com 35s50. A terceira posição ficou com o malásio Jamery Siga, com 38s47.

Tudo o que sabemos sobre:
Ítalo PereiraDaniel Dias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.