Jacqueline, a primeira dama do surfe

O número um do ranking feminino do surfe mundial está nas mãos de uma brasileira. Jacqueline Silva venceu a primeira etapa do WCT na temporada, no começo do mês, na Austrália e virou o primeiro atleta do país a liderar um ranking da modalidade. Aos 24 anos, a catarinense Jacqueline agora sonha com outra façanha e quer embalar no sucesso do início da temporada e ser campeã mundial. Pelo histórico, ela é uma das favoritas. Foi vice-campeã em 2002 e ficou em terceiro lugar no ano passado.Enquanto espera a próxima etapa do WCT, entre os dias 18 e 24 de abril, nas Ilhas Fiji, Jacqueline descansa em Florianópolis, onde nasceu e começou a surfar muito cedo. Logo aos nove anos tomava seus primeiros caldos, ainda com prancha de isopor. As primeiras competições foram contra homens. "Sempre dava algum trabalhinho para eles. Fui três vezes para a final", conta ela, que derrotou a havaiana Rochelle Ballard na final na Austrália e ganhou um prêmio de US$ 10 mil.Depois de tornar-se campeã catarinense, brasileira e ser eleita a melhor surfista amadora na Califórnia, partiu para campeonatos internacionais. Aí, as viagens se intensificaram e amigos e namorados foram ficando para trás. "Estou sempre viajando, isso atrapalha muito. Mas estou totalmente desencanada. Estou em uma fase legal. Me concentrando no WCT", revela a bela Jacqueline, que acabou um namoro de dois anos há seis meses.A vitória na primeira etapa do WCT teve uma dificuldade. Seu técnico Bira Schauffert sofreu com dores intestinais e Jacqueline chegou até a sugerir que ele voltasse para o Brasil. Sabia que o treinador ia fazer falta e depois do triunfo, dedicou a vitória a ele. "Ele me acompanhou em todas as baterias. Valeu muito a pena", conta ela.Agora, Jacqueline sonha alto e já tem outro desafio pela frente. Quer terminar a temporada como a primeira brasileira campeã mundial de surf. "Não poderia ter começado melhor. Quero me manter no topo, seguir em primeiro depois de três etapas", diz.

Agencia Estado,

22 de março de 2004 | 10h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.