Jade Barbosa se classifica para três finais na Alemanha

Ginasta mostra que é a principal atleta da equipe brasileira que se prepara para os Jogos Olímpicos de Pequim

Agência Estado

11 de abril de 2008 | 19h05

Na primeira competição da temporada, Jade Barbosa provou nesta sexta-feira, em Cottbus, que é uma das ginastas mais completas do Brasil. Nas eliminatórias da etapa alemã da Copa do Mundo de ginástica artística, ela conseguiu vaga na final de três dos quatro aparelhos. Assim, neste sábado, disputará medalhas no salto e paralelas. E no domingo, está na prova de solo, ao lado da também brasileira Daiane dos Santos.Nas eliminatórias do salto, Jade conseguiu nota 14.850 e ficou atrás apenas da alemã Oskana Chusovitina, que marcou 15.225. Na competição em Cottbus, além da prova do salto, Jade tem chances de medalha no solo. Ela está classificada com a segunda melhor nota das eliminatórias (14.350), atrás da romena Sandra Izbasa (15.000).Enquanto isso, Daiane dos Santos passou para a final com a oitava e última posição, ao fazer 13.750 nesta sexta-feira.Esta é a primeira competição de Daiane após sete meses de recuperação da cirurgia no tornozelo esquerdo.Jade Barbosa foi a sexta colocada nas eliminatórias das barras assimétricas. Na mesma prova, a brasileira Ana Cláudia Silva, de 16 anos, que faz sua primeira competição como adulta, terminou em 15.º lugar.Na trave, Ana Cláudia Silva conseguiu a 10.ª posição e ficou à frente de Jade, que terminou em 13º - apenas as oito melhores das eliminatórias se classificaram para a final."Como primeira competição do ano, o balanço foi muito bom. Ana Cláudia faz sua primeira competição como adulta (ela tem 16 anos) e fez duas e boas novas séries na trave (10ª) e nas paralelas (15ª). A Daiane também foi bem, está voltando de lesão", avalia Eliane Martins, supervisora da seleção brasileira.No masculino, nenhum brasileiro conseguiu ir à final em Cottbus. Victor Rosa foi 18.º no solo e 27.º no salto. E Luiz Augusto dos Anjos foi o 20.º na barra fixa e 47.º no cavalo com alças. "O Victor Rosa (reserva de Diego Hypólito em Pequim) podia ter ido melhor no solo (18º colocado). Ele caiu na última passada", conta Eliane. Na barra fixa, o Guto (Luiz Augusto dos Anjos) fez uma série boa, mas tinha uma nota de partida baixa." (com Glenda Carqueijo, do Jornal da Tarde)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.