Jade, enfim, vai treinar com Daiane

A ginasta Jade Barbosa, de 13 anos, vai treinar com Daiane dos Santos, fonte de inspiração nos exercícios de solo, incluindo o salto duplo twist carpado. "A Jade sabe de cor toda a série de solo da Daiane", comenta César, pai da ginasta, que só concordou com a mudança da filha para Curitiba - se apresenta sábado - depois de conhecer detalhes sobre a educação que receberá enquanto treina com a seleção permanente (que se prepara para o Pan-Americano do Rio, em 2007, e os Jogos de Pequim, em 2008).César gostaria que Jade permanecesse no Rio, com a família, por mais um ano. Mas acabou compreendendo que, se ficasse no Flamengo - o clube ganhou novos aparelhos da Prefeitura, mas não tem equipe técnica -, a filha não evoluiria como as outras ginastas que treinarão com o ucraniano Oleg Ostapenko, em Curitiba. Além de estudar no Rio, Jade, que não tem mãe, faz companhia ao irmão, Pedro, de 7 anos. "Queria falar com alguém responsável pela seleção. Conversei com a Eliane Martins, da Confederação Brasileira de Ginástica, que me explicou como será a educação regular das meninas e quem cuidará delas", conta César, mais tranqüilo depois de saber que as meninas terão aulas particulares com professores do Colégio Dom Bosco e lições de inglês.Além disso, Sônia, mãe da ginasta Maíra dos Santos, que tem 13 anos, como Jade, cuidará da casa das meninas. "Também disse à Eliane que a saída da Jade e de outras meninas do Flamengo para a seleção causa desânimo nas que ficam." César defende o fortalecimento dos centros regionais que formam as ginastas antes de chegarem a Curitiba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.