Jade não atende convocação e está fora dos Jogos

Problemas com patrocínio teriam motivado a decisão da atleta de não se apresentar; Laís Souza será sua substituta

VALÉRIA ZUKERAN, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h06

A ginasta Jade Barbosa foi cortada da delegação do Brasil que disputará a Olimpíada de Londres. A atleta não atendeu à convocação para reunião da equipe no domingo, para treinos esta semana no Rio. Segundo informações da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), a atleta não justificou a ausência, mas vinha tendo conflitos com a entidade por não concordar com alguns itens de um acordo que todos os ginastas tem de assinar para participar dos Jogos.

Com a exclusão de Jade, a ginasta Laís Souza foi convocada como sua substituta. Gabriela Soares sentiu contusão e será substituída por Priscilla Cobello. As outras integrantes da lista são Daiane dos Santos, Daniele Hypolito, Ethiene Franco, Adrian Gomes, Bruna Yamamoto Leal, Harumi de Freitas e Letícia da Costa.

As atividades serão coordenadas por Georgette Vidor, com a ajuda dos técnicos Adriana Alves, Irina Ilyashenko, Margarita Vatkina, Raimundo Blanco, Ricardo Pereira e Viviane Cardoso.

Segundo o coordenador de seleções da CBG, Klayler Mourthe, mesmo que Jade venha a concordar em assinar o acordo agora, será difícil sua reintegração porque o trabalho final para a Olimpíada já estaria comprometido.

"Em alguns casos, a diferença entre a vencedora e a quarta colocada de uma competição é de décimos", explica. "A Daiane dos Santos, por exemplo, está trabalhando em alguns ajustes de sua apresentação de solo."

A assessoria de imprensa de Jade informou que a atleta não havia sido notificada oficialmente do corte e só se manifestaria depois que a CBG enviasse por escrito os motivos da exclusão.

Mourthe confirmou as informações de que o representante de Jade Barbosa, César Barbosa, pai da atleta, não teria concordado com alguns itens do chamado "acordo específico" para a Olimpíada.

No documento, além dos atletas se comprometerem a atender a convocações para treinos, existem algumas cláusulas de uso de uniforme com logomarcas dos patrocinadores da CBG.

O coordenador de seleções não confirmou a informação de que Jade estaria se recusando a usar material esportivo com marcas as quais não tivesse patrocínio individual. "Mas realmente o representante não concordou com alguns itens. Fizemos algumas modificações mas, mesmo assim, não houve acordo."

Os atritos entre Jade, seu pai e a CBG não são novidade. A atleta ficou quase dois anos sem defender a seleção. Após a Olimpíada de Pequim, em 2008, ela acusou a entidade de negligência por causa de uma lesão no punho. Desacordos sobre questões financeiras também surgiram no período. Jade só voltou à equipe nacional em 2010. Desde o início da temporada, porém, não competia pelo Brasil e, por isso, não viajou para torneios internacionais.

O grupo de nove atletas que está em atividade no Rio treina até o dia 7, quando serão feitos dois cortes. O restante viaja para a Inglaterra e treina em Ipswich até a viagem para Londres, quando serão realizados mais dois cortes. As atletas não selecionadas, no entanto, continuarão treinando na Inglaterra como precaução para a necessidade de substituição de última hora por contusão das cinco integrantes do time olímpico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.