Jadel admite erro e promete melhorar

O triplista Jadel Gregório nem gosta muito de saltar pela manhã, hora de sua qualificatória, disputada nesta sexta-feira, para a final do salto triplo nos Jogos Olímpicos de Atenas. Mesmo assim, estava muito seguro e conseguiu ir à final ao fazer, logo de cara, na primeira tentativa, um salto de 17m20. Está entre os 12 atletas que disputarão as três medalhas no domingo, a partir das 14h10 (horário de Brasília). Nove dos 48 atletas que entraram na prova saltaram 17 metros ou mais e classificaram-se automaticamente para a final. Os outros três foram incluídos pelo critério de performance, mas com marcas inferiores. "Ele estava muito tranqüilo, mas não entrou para brincar. Entrou para saltar sério e não correr nenhum risco", resumiu o técnico Nélio Moura.Jadel, de 23 anos, obteve a quinta marca do dia, atrás do sueco Christian Olsson (17m68), do cubano Yoandri Betanzos (17m53), do romeno Marian Oprea (17m44) e do inglês Phillips Idowu (17m33). Apenas esses cinco saltadores foram além dos 17 metros na primeira tentativa. Os outros quatro classificados com saltos longos foram os russos Viktor Gushchinskiy (17m17) e Danila Burkenya (17m08), o grego Hristos Meletoglou (17m06) e o cubano Yoelbi Quesada (17m01). Mas Jadel, que passou apressado pela zona mista de imprensa, sem querer muita conversa, disse que as marcas de hoje não servem como referência. "Saltei um pouco errado (na transição da segunda para a terceira fase do salto), mas consegui ir à final. É só aguardar. A final vai ser quente. O pessoal grita, passa energia positiva para os saltadores. Pode vir quebra de recorde por aí", avisou.O recorde mundial pertence ao inglês Jonathan Edwards, que, após o Mundial de Paris, no ano passado, deixou às pistas - 18m29, desde agosto de 1995. O triplista brasileiro disse que está bem tranqüilo em sua estréia olímpica, por estar habituado a competir no circuito mundial de Grand Prix - Jadel vem saltando na temporada européia desde junho. "Estou muito tranqüilo e, por isso, não quero nem falar muito. Eu estou fazendo a minha parte. A competição estará forte. Tem de saltar longe e eu vou saltar longe."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.